edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 4.10.06
Etiquetas: ,


Depois do édito de 1 de Julho com o mesmo título trago hoje uma pergunta.

Governar para Séniores ou travar a fuga de população activa?

Eis a grande questão sobre o futuro de Elvas que hoje vos trago a debate.
Olhando para o mapa abaixo retirado da Wikipédia verificamos a evolução da população concelhia desde o século XIX até ao ano de 2004.




Uma primeira leitura faz-nos ver como a nas últimas décadas a população tem diminuído e tudo aponta para cada vez mais a desertificação de concelhos periféricos como o de Elvas.

Mas mais preocupante, pelo menos para mim, é verificar que a grande diminuição da população tem a ver com a saída de população activa. Olhando para o mapa abaixo referente ao Censos 2001 do INE, podemos ler como entre 1991 e 2001 a população activa, isto é a população com idades compreendidas entre os 25 e 64 anos teve uma flutuação negativa de 4,7 pontos percentuais. Agrava esta leitura e o panorama sociológico a saída de jovens, filhos desta população bem como a diminuição da natalidade.




Se alguns acusam o Regedor de governar para a 3ª idade, ou como o mesmo prefere, a Idade de Ouro, ele fá-lo com certeza, porque os “nossos avos” o merecem mas também porque no final de contas a grande massa electiva está concentrada nesta população maior de idade. Cabe às oposições ganharem esta percepção se quiserem “ganhar” eleitores.

Mas que é necessário debater é o que fazer para travar a saída de jovens do Concelho? Que iniciativa pode o Regedor empreender para trazer de volta a casa aqueles que rumam às metrópoles para continuar estudos e depois já não regressam a Elvas?

43 comentários:

Anónimo disse...

Amigo Zé quando se soou pelas bocas maldizentes da cidade que iriam fechar as urgências o senhor escreveu logo sobre isso. Agora que sabemos já que é falso espero que reponha aqui a verdade já que tanto quer informar a população.

Ze de Mello disse...

caro anónimo acima,

o blogue não é um meio de informação. Alerto e desperto atenção para assuntos que me parecem pertinentes. De qualquer forma em breve editarei algo sobre o assunto da desclassificação das nossas urgências!

Bem Haja!

Anónimo disse...

O Concelho de Elvas tem de apostar claramente em todos os elementos qualitativos associados ao desenvolvimento. Depois de tanta obra feita há que passar necessariamente para a etapa da qualificação da cidade. Elvas tal como o interior tem um potencial vastissimo de recursos que permitem um desenvolvimento qualitivo e sustentável. Há que ordenar urbanisticamnte a cidade, qualifica-la de modo a que os recursos turisticos possam ser transformados em produtos turisticos capazes de atrair um turismo de qualidade associado a uma população com elevado poder de compra. Isso implica que haja uma política séria de renovação e recuperação do patrimómio em sentido lacto que imclua não só os elementos arquitectónicos mas a projecção de eventos que divulguem a cidade fora das fronteiras concelhias. E nesta matéria Elvas tem grande possibilidades se se definirem planos estratégicos para cada um dos equipamentos contruidos. Se virmos a realidade de Méria é um exemplo bem palpavel do que poderia ser feito, em 20 anos a cidade quase duplicou a sua população. Para além disso terá de haver uma aproximação clara a Badajoz. As duas cidades reunem um conjunto de equipamentos e recursos de inegualavel valor no interior da Peninsula Ibérica. A Escassos kilometros existem universidades e ensino politecnico que poderão gerar empregos avançados no sector terceiário adentrado -nos mesmo em sectores avançados do quartenário. A futura estação de combois de alta velocidade abre oportunidades inegualáveis de desenvolvimento no âmbito da logistica através da optimização do trasporte ferroviário para o transporte de mercadorias.
Tudo isto implica de uma vez por todas uma alteração das políticas desenvolvidas até à data. Não se pode construir, construir, construir sem uma visão estratégica firme para a cidade. Há que pensar seriamente o que há a fazer. Tudo o que se constroi deverá servir reverter em função de uma ideia global a criar para a cidade.
Algumas das coisas feitas até agora, colocam a cidade numa situação impar no contexto do país em termos de infraestruturas, agora há que optimizar tudo o que até agora foi feito, construir equipamentos numa lógica de acção concertada e apostar claramente na qualificação global da cidade.
Face a um mundo global os empregos, as oportinidades, encontram-se naquilo que nos diferencia será essa a grande aposta de futuro. Toca a trabalhar..

Anónimo disse...

Concordo plenamente com o último post!!
Todos os posts tivessem esta qualidade!

Anónimo disse...

O que por acaso eu estou a ver na rondónia é uma mudança a nivel cultural, embora continuem os espectáculos ridículos para o povo ficar contente, tem havido boas iniciativas. Visitei uma exposição muito boa na torre fernandina!

Anónimo disse...

Mas o que é isto?

Um voto é um voto... nas eleições tanto valem se forem de um novo ou de um velho e os novos não vão em idas a Fátima e coisas do género... têm de trabalhar para pagar os impostos para que o regedor os passa esbanjar com obras faraónicas de rentabilidade nula....

Anónimo disse...

Mas alguem no seu perfeito juízo pode acreditar no que disse o regedor das urgências?
Então há terras em que o hospital fica sem nada : nem muito nem pouco; nadaaaaa e aqui ficava tudo na mesma: não, ainda era melhorado não sei o quê que viria de todo o Alentejo....

Francamente

Aí o sócio do primeiro post, não sei se era o mesmo que quando foi da maternidade, logo que o regedor disse que não fechava, veio para aqui aceitar isso como um dado adquirido tal como hoje em relação às urgências, e depois foi o que se viu.
Se calhar desta vez vai ser igual..

Anónimo disse...

Não está em causa o que disse o regedor das urgências amigo. O decreto que vai encerrar as urgências e abrir novas em algumas cidades já saiu e Elvas não está lá. Mas isso já não é notícia nem sai em nenhum blog e sendo assim demonstra a falta de carácter de quem noticiou que iriam fechar as urgências de Elvas assim como algumas escolas primárias.

Pedro Gama disse...

O que se deve fazer, primeiro, é deixar de esbanjar dinheiro em rotundas, estádios, pedras da calçada... e com esse dinheiro dar incentivos a que os jovens criem os seus próprios postos de trabalho... se saem para estudar e quando voltam não encontram oportunidades na sua área vão procurar noutro sitio, claro.
Mas mesmo dando esses incentivos os jovens deverão pensar duas vezes em contruir o seu "negócio" em Elvas. É que se receberem dinheiro do "Palácio do Regedor" sabem que, mais cedo ou mais tarde ele irá tentar controlar a dita, para os seus propósitos, com o argumento de que é a autarquia que tem ali dinheiro investido.

Ainda assim, se querem parar a ida de elvenses (e isto serve para os alentejanos em geral) tem de se lhe dar oportunidades, e só depois habitação, lazer e cultura...

Anónimo disse...

Concordo.

Baluarte disse...

concordo.

Baluarte disse...

A partir desta data o meu nome de tela no Blogger ser BALUARTE. Pelo que reproduzo agora o texto por mim escrito ontem ao final da tarde.
O Concelho de Elvas tem de apostar claramente em todos os elementos qualitativos associados ao desenvolvimento. Depois de tanta obra feita há que passar necessariamente para a etapa da qualificação da cidade. Elvas tal como o interior tem um potencial vastissimo de recursos que permitem um desenvolvimento qualitivo e sustentável. Há que ordenar urbanisticamnte a cidade, qualifica-la de modo a que os recursos turisticos possam ser transformados em produtos turisticos capazes de atrair um turismo de qualidade associado a uma população com elevado poder de compra. Isso implica que haja uma política séria de renovação e recuperação do patrimómio em sentido lacto que imclua não só os elementos arquitectónicos mas a projecção de eventos que divulguem a cidade fora das fronteiras concelhias. E nesta matéria Elvas tem grande possibilidades se se definirem planos estratégicos para cada um dos equipamentos contruidos. Se virmos a realidade de Méria é um exemplo bem palpavel do que poderia ser feito, em 20 anos a cidade quase duplicou a sua população. Para além disso terá de haver uma aproximação clara a Badajoz. As duas cidades reunem um conjunto de equipamentos e recursos de inegualavel valor no interior da Peninsula Ibérica. A Escassos kilometros existem universidades e ensino politecnico que poderão gerar empregos avançados no sector terceiário adentrado -nos mesmo em sectores avançados do quartenário. A futura estação de combois de alta velocidade abre oportunidades inegualáveis de desenvolvimento no âmbito da logistica através da optimização do trasporte ferroviário para o transporte de mercadorias.
Tudo isto implica de uma vez por todas uma alteração das políticas desenvolvidas até à data. Não se pode construir, construir, construir sem uma visão estratégica firme para a cidade. Há que pensar seriamente o que há a fazer. Tudo o que se constroi deverá servir reverter em função de uma ideia global a criar para a cidade.
Algumas das coisas feitas até agora, colocam a cidade numa situação impar no contexto do país em termos de infraestruturas, agora há que optimizar tudo o que até agora foi feito, construir equipamentos numa lógica de acção concertada e apostar claramente na qualificação global da cidade.
Face a um mundo global os empregos, as oportinidades, encontram-se naquilo que nos diferencia será essa a grande aposta de futuro. Toca a trabalhar..

pulga disse...

É interessante o bla bla bla do baluarte dito assim"não se pode construir, construir,sem uma visão estratégica firme para a cidade." Se tudo foi construido adoc, como quer "alterar as políticas desenvolvidas até á data" se o ZÉ ganhar como é muito provável, principalmente com a oposição alternativa que temos (vá ás assembleias e reuniões de camara e logo me dirá).
Peço desculpa mas o que nos diferencia é uma mediocridade alarmante, tanto de politicos, como quadros, empresários ETC.
Todos sabemos que o tempo urge, e não acredito que o tgv e a logistica venha a desenvolver Elvas.
Há que continuar a sonhar e o baluarte, parece um sonhador, por mim o ultimo a sair que apague a luz.

Anónimo disse...

Não há emprego! O presidente da camara tem vindo a seguir uma politica,que tem dotado bem o conselho de insfraestruturas uteis para a população mas tem-se esquecido seguir uma politica para o desenvolvimento economico, com a taxa de derrama no máximo, os preços dos lotes da zona industrial elevados e pouca promoçao deste espaço. Sem emprego não há jovens, é dai que vem o problema...

josé disse...

PENSO QUE TENS TODA A RAZAO. QUEM SOUBER QUE RESPONDA

lady disse...

mas tu que tens uma mente iluminada devias saber

Anónimo disse...

PEDRO GAMA tem razão, há pouco tempo um empresário jovem fora de Elvas, investiu num cibercafe, na AV Antonio Sardinha junto ao centro de emprego, entre outras razões desistiu, pq o regedor nas suas TAXAS, aplica uma aos ciberes de 100 euros anuais por cada computador, como tinha 15 seriam 1500 euros anuais de taxas,
o negócio não durou 2 meses aberto!!!!!!!!!?
Assim não há quem invista e não há solução pq o regedor, está nas tintas para o desenvolvimento, estatisticas a unica coisa que tem,é ideas avulsas sem estratéjia nenhuma.
O zé de mello tem que dar umas dicas de como a oposição deve ganhar o voto da 3ªidade ou d'ouro eu não vejo como se convence um avô que o neto precisa que se criem empregos em Elvas!!!!!EU ACONSELHO A OPOSIÇÃO A FAZER UM CALENDÁRIO COM AS FESTAS E CIDADES A VISITAR E PROMETER UMAS VIAGENS DE AVIÃO E FAZER PELO MENOS 2 ALMOÇOS ANUAIS DA IDADE D'OURO.

LADY disse...

Ze de Mello quero dar-lhe os parabens, traz aqui temas muito inteligentes.Eu penso que o Regedor tem seguido uma politica de governação única e exclusivamente voltado para o voto do idoso,dado que a nossa população esta envelhecida, e os jovens vão para fora do Concelho como V.Exa.atrás analisou e muito bem.Gostaria que alguém pergunta-se ao Regedor se ele questionou toda a população de Elvas, acerca dos gastos dos dinheiros públicos , sim públicos, porque os jantares, e as viagens a Fátima somos nós todos os contribuintes que as pagamos. Tudo isto a pensar sempre no voto, e claro em si próprio.E penso também que isto não é um problema para a oposição , porque a mesma no nosso Concelho já deu provas de ser bem fraquinha. Ou mesmo inexistente. Passa sim por um conjunto de pessoas, que consigam vêr para além do voto, que tenham consciência que o trabalho autarquico é remunerado e muito bem... Nada comparado à pensão de um reformado.Existe obra feita.É um facto.Mas a mesma foi sem estratégia, basta vermos que os equipamentos existentes são edificadoscomo se tratasse de uma manta de retalhos.

Anónimo disse...

Senhor (a) PULGA não se entende o que quer dizer. Deveria melhorar o seu discurso escrito. O Blog pede para se aportarem ideias e o senhor (a) nada acrescenta e apenas de contradis na sua ideias. Não vá pelo discurso fácil que nada aporta à nossa cidade. É mais do mesmo e por isso as coisas estão como estão.

Anónimo disse...

Face ao potencial da cidade é um verdadeiro desastre a situação demográfica do concelho. Centenas de jovens todos os anos abandonam este concelho em direcção a outros concelhos mais dinâmicos do interior ou do litoral. População qualificada que termina o seu 12º ano e que já não volta. Desta forma a substituição das gerações está seriamente comprometida em relação ao futuro. Os indicadores demográficos são de facto um dos principais denunciadores (que não podem de todo ser desmentidos) como foram feitas apostas erradas para o nosso concelho em termos de desenvolvimento. Apostas feitas em função unica e exclusiva de ciclos eleitorais, na promoção pessoal de alguns e das suas familias. É vergonhoso ver que enquanto grande parte dos jovens do nosso concelho têm de migrar, por não lhes ser oferecidas oportunidades) os parentes próximos do regedor e dos seus acompanhantes tem de a vida facilitada multiplicando-se os casos de enteados que ficaram efectivos na função pública (contribuindo cada um para aumentar os deficits da função pública que cada um de nós está a pagar e a sentir na pele), colocados não propriamente pelo seu mérito profissional já que na maioria dos casos é verdadeiramente muito duvidoso. Assim vão as coisas...

pulga disse...

Para bom entendedor, meia palavra basta!!!!
O anónimo das 8:55 não entende!!!! então lá vai uma esplicação mais de acordo com o seu QI.
O sr baluarte diz o que deve ser feito(e na minha opinião bem) contudo, como quem tem o poder é o regedor, ele é que dita as leis.
Como o regedor ainda tem para ai mais uns 7 anos de mandato as politicas não vão mudar e enquanto o regedor estiver no poder tudo o que se diga é bla bla bla...

por_elvas disse...

Elvas tem potencial para se afirmar no cenário nacional.
Somos uma cidade pequena, mas podemos ser competentes e dinâmicos.
Dois factores são fundamentais:
Investir numa politica que valoriza a educação e a formação, nas escolas proficionais, e nas outras escolas, em que o ensino é lastimavel, propor por exemplo um sistema de ensino experimental, mais flexivel, com melhores resultados, que se destaque pela positiva.
Promover e apoiar a fixação das empresas no conselho, com divulgação, baixando os preços dos terrenos na zona industrial, e da taxa de derrama.
Se forem tomados estes passos, Elvas poderá inverter certamente a tendencia de saida de jovens, tornando-se a médio/longo prazo uma cidade mais jovem e rica.

Anónimo disse...

Agora sim senhor (a) Pulga todos entendemos a sua mensagem. Contudo penso que não se deve subvalorizar ideias tendo em conta a suposta permanencia do regedor. É uma forma de minimizar aportações que jugo positivas retirando-lhes o conteudo importante que elas encerram. Obrigado pelos devidos esclarecimentos e já agora que valoriza as aportações dadas pelo Baluarte o QI deste não deverá ser assim tão básico....

insecto disse...

ainda não entenderam que os ideais do regedor são...!!!com os idosos eu vou sempre ganhar e aos novos eu vou lixar"

Ze de Mello disse...

O Regedor governa a edilidade mas são os Elvenses e os que aqui habitam que constituem a Cidade!

O Regedor terá uma visão, da qual discordo em alguns pontos, para o futuro da cidade, mas somos TODOS os que temos que EXIGIR mais a quem nos governa!

Este Velho Conselheiro quer mais e melhor para ELvas. Há que mudar de estratégia. Elvas tem quase tudo construído mas num futuro a minha preocupação vai para:

- que programação têm os equipamentos?

- quem vai usufruir deles?

- qual o objectivo estratégico para Elvas?

LADY disse...

É isso mesmo ze de mello. Mas o que podemos fazer quqndo o Regedor é que detém o poder, e não aceita quaisquer opinio~es, julga-se dono de toda a verdade.Ouvimos na T.V. que os culpados são os professores, os funcionários púbblicos etc.. Mas ninguém questiona os chorudos vencimentos que ganham os familiares dos politicos, que nda fazem e estão muito bem instalados em gabinetes recheados de tudo quanto é bom. Mas claro á custa da poupança dos papalvos todos.

Anónimo disse...

Concordo plenamente com lady disse.... è escandandaloso que o portugues médio lute diariamente para sobreviver (e não viver) enquanto que os filhos desta cambada que governa Elvas são acessores, é-lhes entregue vários empregos ao mesmo tempo ou ocupam cargos porque os pais já os detinham num acto de sucessão.
Vejam o que se passa com a filha do antigo comunista hoje rendido aos encantos rosas... mais não digo....

rosamaria disse...

Fantástico...fnalmente as mentes vao se abrinado para as vesdades deste momento nesta cidade...Criticaram-me quando me escandalizei e indiginei com tanta mentira mas final a verdade é como o azeite vem ao de cima.
E agora??
Estratégias??
Nenhumas só conversas fiadas a tentar mais uma vês enganar o ingenuo do que mal sabe ler mas por um almoço e uma ida a fatima lá está a dizer que o rodonia é o maior e o melhor...
Eu vim para Elvas em 83 e nessa altura esta cidade tinha jovens e ainda me lembro dos quartos privados da Maternidade estarem sempre cheios...Ningem mendigava...mas claro não tinha retundas nem coliseus.. mas tambem nessa altura não havia dinheiros a fundos perdidos nem fundos comunutários...onde muitos politicos se vão amanhando e ainda ganham eleiçãoes " em felgueiras um exemplo de como a escomalha e a corropsão que tem o nome de saco azul valem a pena".
Sim à aqui comentarios que falam da nossa realidade e quantos as urgencias ...Não se esqueçam que quando nas promessas eleitorais havia o grito dum presidente a dizer que se a maternidade fexa-se ele se demitiria né? O que não foi verdade...Mesmo já antes das eleições esse candidato sabia que a maternidade ia fexar mas continuou a mentir ao povo e amim que andei fita tola e de boa fé a angariar ssinaturas para a sua eleição...As urgencias como vai ser?? Um escandalo podem crer até porque muita coisa vai ter se ser resolvida em tribunal...Fiquem bem mas estas politicas deixam-me erritada sabem?? Eu naõ sei conviver com mentiras...e só vejo mentiras..segunda feira regreço ao emprego sem trabalho pois afinal dizia-se que só se faxava o acto do parto mas fexou tudo desde a ginecologi as gravidas que estão sem acistencia medica e nem um CTg para fazer...tenhma paciência

Pedro Gama disse...

Zé de Mello. Parece que custou mas foi. Finalmente há gente a discutir coisas sérias de forma séria neste espaço. Parabéns a todos... Esperemos que a mensagem chegue ao Palácio.

Anónimo disse...

Concordo plenamente consigo Rosa Maria. E o pior está para vir. Este senhor sabe das coisas e nada diz. O regedor como sempre só se preocupa com ele, a pseudoobra e nada mais. A entrega da gestão conjunta dos hospitais de Elvas e Portalegre vai ditar o fim do hospital de Elvas. A centralização de determinadas valencias em Portalegre vai ser inevitável tirando mais valias ao nosso hospital e à qualidade dos seus serviços. O minisnitério da saúde que se afirma ter uma política de racionalização de recursos nunca se interessou verdadeiramente em potencializar o Hospital de Elvas, enquanto as listas de espera em Évora se perpectuam não houve nunca a intenção de deslocar doentes para Elvas onde havia bons serviços e tecnicos que garantiam um atendiemento sanitário e hospitalar de qualidade. Tudo isto foi visto pelo regedor, e pelo partido a que pertencem (já que a maioria do seu reinado foi contemporaneo a governos socialistas)e nada foi feito. Já que tem tantas amizadas e ligações aos gabinetes ministeriáveis onde esta a sua influência? Para mim perde-se no ALTO DE VILA BOIM, bem não exageremos vai até AO ACTUAL FEUDO DA TERRUGEM..... E assim Elvas vai perdendo mais uma vez posto de trabalho em serviços que poderiam garantir emprego ao jovens da região..

rosamaria disse...

Ó Pedro onde andas??
Um abraço da AMIGA e que estejas muito bem ...para que os teus "amigos" esses que não tem a coragem nem a ousadia de falar uma verdade saibam que não precisas de esmolar para comer...Boa sorte em tudo na tua vida...bj
Por aqui as pessoas começam a ver mais alem ainda que um pouco tarde ...mas mais vale terde do que nunca...

Anónimo disse...

Amigo Zé de Mello
Tenho seguido com algum interesse os temas aqui lançados por ti e os respectivos comentários dos teus "conselheiros". Devo confessar que me agrada a ideia de se tentar defender a nossa querida ELVAS através de opiniões, sugestões e críticas, apontando também os erros ou abusos , sejam eles de que tipo forem, sempre que tal se justifique. E este "blogue" é um óptimo meio para tal. Contudo, reparo que isto nem sempre acontece, principalmente quando alguns dos "conselheiros" enveredam pela ofensa gratuita, revelando mesquinhez e ignorância sobre pessoas e coisas que, felizmente, AINDA vão funcionando e que CONTINUAM a elevar bem alto o nome da nossa terra. Desta forma dispensa-se a sua nefasta contribuição. Depois queixam-se de estarmos cada vez mais pobres ...
Outro dos pontos que gostaria de ver corrigido refere-se aos inúmeros erros ortográficos que esta gente exibe nos seus escritos. Um simples dicionário ou qualquer corrector de ortografia informático resolveria esta questão. Não entendo a "pulga" que refere valores de QI e borra a escrita com "esplicação" em vez de explicação, nem tão pouco posso aceitar que "por-elvas" refira "conselho" quando deveria escrever concelho. Aqui poderá ter havido influência negativa da tal publicação colorida que periodicamente entra em nossas casas.
Antes de serem exibidos exige a estes "conselheiros" o rigor de um exame como o da antiga 4ª classe ou então, sempre que tal aconteça, obriga-os a irem para um dos cantos da sala com as tais orelhas de papel enfiadas na cabeça e a escreverem cem vezes a palavra errada e, se for possível, em caderno de duas linhas para não ... desalinharem!
Os meus cumprimentos.

Xanu disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Xanu disse...

Afinal o que é mais importante, escrever sem erros e não ter uma única opinião válida ou a coragem para a explanar aqui, ou, defender aquilo em que se acredita mesmo que escrito em português menos correcto? O Sr(a) anónimo já pensou que nem todos têm o mesmo nível "cultural" (educacional?) ?? Prefiro ler opiniões escritas em mau português a não ler nenhumas.
Conheço pessoas que nunca poderão opinar neste blogue pelo simples facto de serem analfabetos, no entanto são muito mais cultos do que muitos que tiveram oportunidade de ir à escola.
Ler textos bem escritos é sempre um prazer mas AQUI não é o factor mais importante.

Ze de Mello disse...

assino por baixo do que escreveu a Conselheira Xanu!

Anónimo disse...

Muito bem Conselheira Xanu. Concordo plenamente consigo. Para além disso a escrita rápida e sentida com que muitas vezes escrevemos neste blog faz com que escrevamos mais com o coração do que com a razão que o bom disurso escrito exige. Mais grave é a ilitracia fuincional ou melhor "intencional" que alguns têm ou querem impor a uma população que democraticamente quer intervir e denunciar sucessivos atropelos que acontecem neste concelho, numa política constante de minimização quem tem ideias e ideais. Já estou como o Lula da Silva "há gente que escreve melhor que eu, há gente que fala melhor do que eu, há gente que veste melhor do que eu, há gente mais bonita do que eu, mas quem pensa verdadeiramente no povo sou eu". E embora noticias recentes mostrem que as coisas não são bem assim, há algo de verdade face a quem pensa que é melhor do que os outros. Aprendam maiorias autoritárias, prepotentes e incompententes a respeitar os outros. A verdade não é de ninguem todos temos direito a aportar as nossas opiniões. VIVA AO ZÉ DE MELLO.

pulga disse...

Quando coloquei o nome pulga queria como a pulga, ser irritante no bom sentido,contrariar a lógica e tanbém o ilógica mas nunca me passou pela cabeça que irritsse um professor de portugues,possivelmente desempregado e que ocupa o seu tempo a corrigir erros ortográficos no blogue,corrija os erros politicos.

LADY disse...

Muito bem, concordo com todos , teremos de nos unir, toda a Elvas, contra a Rondonia

rosamaria disse...

ha ha ha essa agora tocou-me....eu dou muitos erros ortigraficos e nem por isso eese senhor me incomoda.
Eu sou do tempo das Orelhas de papel..das réguadas ..da cana da india e para ir a escola andava apé 5 km...Mas foi no Hospital pediatrico de Coimbra que aprendi a escrever e nalguns livros que ali me emprestavam e nalguns caprichos "fotonovelas" de uma doente mais velha e daí sr. anónimo...
Veja lá a diferença eu dou a cara mesmo dando os erros, e aprendi a escever nesse tempo das orelhas de burro feitas de papel e dou erros..mas não aprendi a mentir..trair ou roubar...
A escola era outra e é como a Xanu diz ha muita gente desse tempo que não sabe ler ou escrever mas que tem História de valores educacionais de verdades e sentido familiar...hoje tem-se o quê??NADA

Anónimo disse...

Concordo plenamente com a questão dos erros ortográficos. É de facto impressionante o mal que se escreve e a dificuldade em aceitar e corrigir sem ofensas. Afinal tudo se aprende e para quem está a ler um texto cheio de erros, dá vontade de parar a leitura ....

Anónimo disse...

verbo fechar e não fexar
assistência e não acistencia
rotunda e não retunda
corrupção e não corropsão

insecto disse...

que grande resposta a do/da pulga sim senhor.mais valia esse senhor/a anonymous preocupar-se mais com o que realmente importa se calhar de escrita até e´bom mas de cerebro será? preocupe-se mais em ter uma opiniaõ sobre os assuntos expostos pois é para isso que o zé de mello existe!não se preocupe em corrigir os erros ortográficos porque aqui o que realmente interessa é opinar sobre o que está bem ou talvez mal na nossa elvas que cada vez (infelizmente) está pior ou ainda não tinha reparado nisso?

Anónimo disse...

Lembro-me como Elvas era nos tempos em que a consideravam a RAINHA da fronteira!!!! e tenho saudades.
Saudades da pujança economica, da desportiva,da turistica(a nossa pousada foi muito badalada em revistas cor de rosa NO ESTRANJEIRO, pela sua estraordinária culinária e serviço ), industrial(Inesca,moajem,ameixas e azeitonas de Elvas,antenas para televisão-telefac fabrica de pirolitos de chocolates etc etc) e mesmo cultural(SEMPRE O PARENTE POBRE) grupos de teatro escola de musica,corais,bandas musicais, enfim, Elvas mexia um pouco em todos os sectores.
Não havia práticamente desemprego, agora os unicos que não passam por esse flagelo, são os familiares e amiguetes do regedor.
Será que voltaremos a ser o que eramos???
Eu acredito, é possivel, mas não com esta politica do avô e da avó,
Os eleitores de Elvas tem que abrir a pestana.
Enquanto Badajoz aumenta a população, Elvas diminui, porque será?

Search