edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 3.3.09
Etiquetas: , ,


A Assembleia Municipal de Elvas aprovou uma moção que se manifesta contra a instalação da refinaria Balboa, um projecto espanhol que fará descargas em afluentes do Guadiana. A iniciativa foi do deputado municipal do Bloco de Esquerda, que tem trabalhado em conjunto com as associações ecologistas do lado espanhol em defesa do Guadiana.

A moção foi aprovada por vinte votos a favor vindos de todas as bancadas. Seis socialistas votaram contra, mantendo-se fiéis ao apoio que deram à refinaria numa fase inicial. O deputado bloquista Luís Pedras diz-se "muito orgulhoso, porque fomos a primeira Assembleia Municipal a aprovar a reprovação deste projecto nocivo para o ambiente das duas regiões". O Bloco/Elvas tem estado em contacto com os ecologistas do outro lado da fronteira, que contestam igualmente este projecto da refinaria.

A moção diz que as descargas da refinaria seriam efectuadas para rios afluentes do Guadiana, "nomeadamente o Guadajira, afectando todo o projecto de regadio do Alqueva, podendo mesmo vir a contaminar as praias de Vila Real de Santo António, segundo estudos da Universidade da Extremadura". A mesma Universidade alerta também para o risco de contaminação do ozono troposférico lançado pelas chaminés, que se poderão propagar num raio de 140 quilómetros, atingindo algumas freguesias do concelho de Évora.

O anúncio da construção desta refinaria contou desde o início com a oposição dos empresários que pretendem apostar no Alqueva como destino turístico. José Roquette, que tem projectos na região no valor de 1500 milhões de euros, chegou mesmo a deslocar-se ao debate público para ali deixar claro que é incompatível o turismo de qualidade com uma refinaria a laborar a poucos quilómetros de distância. 

A moção da Assembleia de Elvas tem também em consideração "as posições públicas tomadas por muitos autarcas alentejanos, como os Presidentes de Câmara de Évora, Portel, Reguengos, Barrancos, Mértola", que manifestaram a sua oposição ao projecto da refinaria do grupo Empresarial Alfonso Gallardo. O próprio primeiro-ministro é citado na moção quando afirmou que  “os interesses Portugueses, que são a protecção e defesa dos valores e dos padrões ambientais desta zona serão sempre devidamente acautelados” dizendo também “a refinaria não deverá ser construída se puser em causa valores ambientais portugueses”.

Luís Pedras diz que o movimento social de oposição à refinaria deste lado da fronteira não vai parar por aqui. "Vamos fazer um debate com a participação das associações ecologistas envolvidas nesta luta, no dia 4 de Abril, no Auditório do Museu da Fotografia". O debate deverá contar com a presença do eurodeputado Miguel Portas.

in esquerda.net

4 comentários:

democracia século 21 disse...

Cada vez que entro em qualquer restaurante de Badajoz vejo rapazes de Elvas a trabalhar.

Ainda um destes dias fui ao Aldebarán e encontrei um rapaz de Vila Boim e outro de Elvas como empregados de mesa.

A mão de obra elvense é muito apreciada em Badajoz, os portugueses trabalham mais e reivindicam menos.

Elvas portanto, com a refinaria e criação de emprego a juzante, só teríamos a ganhar, pelo aumento da pressão da procura de mão-de-obra.

Mas pronto, nós já estamos habituados com o horror de certa esquerda, muitas vezes disfarçada de verde, como a melancia, que tem horror a tudo o que é criação de emprego, bem comos às outras fontes alternativas ao petróleo, em Portugal até é proibido discutir a energia nuclear...

democracia século 21 disse...

Aí sim, que víamos o mérito do Sr. Presidente Rondão Almeida, se contactasse os investidores da refinaria e os convencesse a trazê-la para Elvas...

issope disse...

Isto dá vontade de rir!
Queimam-se a vocês próprios... ou não estivéssemos a falar de refinaria.
Boa continuação de má língua!

Os mesmos que escrevem isso, são aqueles que lançavam um abaixo assinado e se metiam três num taxi a caminho da Assembleia da República a protestar porque vinha uma refinaria para Elvas.

elvense disse...

Mas anda tudo maluco ou quê??

Chamam progresso a uma refinaria que iria poluir e contaminar uma área enorme?!

Num mundo quase à beira da extinção com tanta poluição ainda se pensa SEQUER em contaminar ainda mais o planeta?!

É que nem parece que nele vivemos... Querem continuar a "bater no ceguinho"? Aumentar ainda mais o «tumor» até explodir?

Pensem um pouco e com politiquices à parte... Tecnologia e emprego, sim, mas não à custa da destruição do ecossistema.

Search