edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 12.2.09
Etiquetas:


Um dos concelhos que mais tem investido na cooperação transfronteiriça tem sido o de Chaves, que tem já no terreno a sua Eurocidade em conjunto com o município galego de Verín, que dista a apenas 20 quilómetros.

O presidente da Câmara de Chaves, João Baptista, refere em declarações aos media que "sempre existiu uma ligação muito próxima entre Chaves e Verín", que estão separadas apenas pela raia e que, juntas, reúnem cerca de 60 mil habitantes.

Uma das ideias "inovadoras" do projecto é a criação de uma "zona franca social", por intermédio da qual se pretende "eliminar as barreiras" no acesso aos serviços de saúde, às escolas e até se criarem criar meios de comunicação social comuns, com base na Internet.

Ou seja, pretende-se conceder aos habitantes dos dois municípios os mesmos direitos nos acessos aos serviços, um ordenamento do território comum e dinamização económica.

Chaves deixou de ter maternidade em Dezembro do ano passado, por isso, as mães deste concelho poderão optar por ter os bebés a Espanha, havendo ainda a possibilidade de serem acompanhadas até lá pelo seu médico.

Através de um protocolo entre o Governo da Galiza e a Direcção Regional de Educação do Norte (DREN), os alunos de música galegos poderão ir estudar para o Centro Cultural de Chaves ou frequentar a futura Escola de Letras Chaves - Verín.

No âmbito da zona franca poderá ainda ser criado um cartão de identidade da Eurocidade, ao qual poderão vir a ser associados benefícios sociais e comerciais.

De acordo com João Baptista, uma das prioridades da Eurocidade é também a criação de uma rede de transportes públicos que una as duas cidades.

Isto porque, actualmente, já há muitos residentes em Chaves que se deslocam diariamente para trabalhar em Verín ou até muitos portugueses que, optaram por residir na cidade galega por ser "mais barata", e continuam a trabalhar em Portugal.

A Biblioteca Municipal de Chaves vai também disponibilizar os seus serviços à população do concelho de Verín, que poderá ter acesso ao cartão de leitor.

Em funcionamento estão já os gabinetes de apoio técnico das duas cidades, que também já apresentaram uma agenda cultural conjunta e trocaram regalias no que diz respeito ao acesso às termas de Chaves e às piscinas de Verín, com descontos comuns para a população dos dois municípios.

Na Eurocidade está concentrada uma das maiores de explorações de águas termais e minerais da Península Ibérica, que poderão originar a criação de uma escola prática de turismo.

Um pouco ao lado, no Minho, as parcerias dão passos tímidos também no sector da Cultura se faz sentir esta colaboração luso-galaica, nomeadamente através da troca de livros entre as bibliotecas municipais de Valença e de Tui.

A Biblioteca de Valença mandou para a de Tui uma caixa de livros de autores portugueses, como José Saramago, Lobo Antunes ou Sophia de Mello Breyner, e a de Tui pôs em Valença obras de Camilo Cela ou Rosália de Castro.

Uma cooperação que em breve será aprofundada e oficializada, através de um protocolo a firmar possivelmente em Abril.

5 comentários:

Elvascidade disse...

Um exemplo a seguir sem dúvida. Só teriamos a ganhar.

A Verdade contra o Mundo disse...

Certo...mas já pesaram que existe uma diferença abismal entre um alentejano e un extremeño coisa que nao é tao marcante num transmomntano e um Galego? Isto parece pouco contar mas se analizarem bem a questao verao que pesa.

democracia século 21 disse...

A dentre distância entre Verín e Chaves é de 27,6 Km veja-se o Guia Campsa:

http://www.guiarepsol.com/MapasRutas/Ruta/Fmapa.aspx?Incidencias=0&Velocidades=120;110;75;70;60;50;40;30&Tipo=1&Dia=1&Criterio=1&Peajes=0&Radio=15000


A distância entre Elvas e Badajoz é nada zero Ó se o Caia for urbanizado.

"zona franca social",

"mesmos direitos nos acessos aos serviços, um ordenamento do território comum e dinamização económica"

"protocolo entre o Governo da Galiza e a Direcção Regional de Educação do Norte (DREN), os alunos de música galegos poderão ir estudar para o Centro Cultural de Chaves ou frequentar a futura Escola de Letras Chaves - Verín."


"cartão de identidade da Eurocidade, ao qual poderão vir a ser associados benefícios sociais e comerciais."

"Em funcionamento estão já os gabinetes de apoio técnico das duas cidades, que também já apresentaram uma agenda cultural conjunta e trocaram regalias no que diz respeito ao acesso às termas de Chaves e às piscinas de Verín, com descontos comuns para a população dos dois municípios."


"criação de uma escola prática de turismo."

"protocolo a firmar possivelmente em Abril."

TUDO, TUDO DEMAGOGIA TIRADA DO POST DO ZÉ DE MELLO.

ENQUANTO SE ESPERA QUE BADAJOZ CRESÇA E E SE EXPANDA PARA LOCALIDADES QUE FICAM LONGE COMO OLIVENÇA, NÓS CONTINUAMOS, POR TEIMOSIA DE RONDÃO ALMEIDA A NÃO QUERER URBANIZAR E INFRA-ESTRUTURAR O CAIA.

QUE ELVAS SEJA UM DORMITÓRIO DE BADAJOZ!!!, NÃO NOS DEVEMOS IMPORTAR COM A CARGA NEGATIVA DA PALAVRA, ATRÁS DO "DORMITÓRIO" VIRÁ O DESENVOLVIMENTO DE ELVAS POR ARRASTAMENTO OU OSMOSE DO DESENVOLVIMENTO DE BADAJOZ!!!

O QUE RONDÃO RECUSA, A URBANIZAÇÃO DO CAIA, JÁ SIMÃO DAS DORES PERCEBEU!

ESTAMOS LIXADOS, A POSSIBILIDADE DO RONDÃO VOLTAR A GANHAR É MUITO, MUITO ELEVADA!!!

Scottish disse...

Realmente a Eurocidade Chaves - Verin é um bom exemplo para uma futura eurocidade Elvas - Badajoz.
No entanto creio serem realidades diferentes.
O facto de Badajoz ser 10/15 vezes maior que Elvas, poderá condicionar a possível união.
Para nós seria excelente a todos os níveis.
Grande Abraço

issope disse...

Será que ainda ninguém percebeu que é o PP de Badajoz não quer uma EuroCidade, tem medo da Eurocidade e de Elvas!?
Badajoz quer uma Euroregião porque não se pode separar de Portalegre, seus companheiros de força política.
Badajoz quer uma Euroregião pequena onde possa ser a cidade dominante e por isso a limita aos concelhos espanhóis pequeninos que tem à volta.
O Alcaide de Badajoz disse e repetiu na última campanha autárquica que não quer a Eurocidade. É muito pouco inteligente da parte do PP, de Celdrán e dos seus vereadores, mas acho que Elvas não pode fazer uma Eurocidade com Badajoz se o Ayuntamiento daquela cidade não quiser.

Search