edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 30.1.07
Etiquetas:

Começa hoje a campanha eleitoral para o referendo sobre a interrupção voluntária da gravidez que levará os Elvenses em conjunto com o resto do país a responder à pergunta:

Concorda com a despenalização da interrupção voluntária da gravidez, se realizada, por opção da mulher, nas primeiras 10 semanas, em estabelecimento de saúde legalmente autorizado?

Seja qual for as suas convicções participe no debate sobre o assunto e participe na consulta popular de 11 de Fevereiro!

Este Velho Conselheiro deixa hoje um pouco de humor, ou talvez não só, sobre o assunto.

4 comentários:

Xanu disse...

Sou a favor do Sim e por uma razão que me parece fundamental...o Não é o perpetuar da situação actual:
-Quem tem dinheiro vai a Espanha ou a qq outro país onde é permitido e aborta com todas as condições e sem riscos.
-Quem não tem dinheiro suficiente para isso vai a uma clínica ilegal, corre riscos, fica muitas vezes com sequelas, fica tb em muitos casos estéril e não tem onde recorrer em caso de que existam complicações depois de abortar.
Há gente que continua a enriquecer à custa das desgraças dos outros, há gente sem escrúpulos que monta barraca em qualquer vão de escada e seja o que deus quiser.
Se votar Não acabasse com o aborto clandestino...contavam com o meu voto porque como mulher não posso ser favorável ao aborto, aliás acho que qualquer mulher sabe que um aborto é sempre uma violência exercida sobre o que de mais importante as mulheres têm...a capacidade de gerar outra vida. Como é que se pode pensar que uma mulher recorre ao aborto de forma leviana??
O meu voto no SIM é antes um voto na defesa da saúde e no direito que as mulheres têm a ser atendidas em segurança e com todas as condições para que a sua vida não seja colocada em risco.
Porque o aborto clandestino existe e não é de hoje, porque o aborto clandestino provoca graves consequências a nível da sua saúde em muitas mulheres, porque o aborto clandestino provoca muitas vezes a morte de muitas mulheres...eu tenho que votar SIM.
É a única forma de defender as mulheres...em todos os aspectos.

Pedro Gama disse...

O SIM é ilibar o estado das suas reponsabilidades essenciais. É dar carta branca para que se avance pelo caminho mais fácil, porque o mais dificil é apostar em educação, em formação, na área sexual; é criar condições sociais, económicas para que o recurso ao aborto seja sempre a última hipótese ou aquela que nunca se coloca; é dizer às mulheres que aquel filho tem um País que o quer acolher.
Voto NÃO porque vivo num país em que se piaretear um cd e o puser a circular publicamnte posso ser preso até três anos; quando penso que o simples facto de aniquilar uma vida, em acto ou em potência não vai fazer com ninguém sofra qualquer sequência, isso deixa-me algo frustrado e revoltado.

Quem deve ser julgado pela prática de aborto não é a mulher. Essa é inicente,porque a própria culpa de o ter realizado já é penitência suficiente. Quem deve ser julgado nsão os médicos e enfermeiros que estão a ir contra o seu próprio juramento de defender toda e qualquer vida.

Despenalizar sim, liberalizar, não. Mas não é como na sátira dos "Gato". Parece-me que a despenalização não acabará com o número de abortos. Apenas politicas sociais assentes nas pessoas podem ser frutuosas. Liberalizar o aborto vai dar motivos ao Governos e aos vindouos para estagnar mais essas politicas, porque tem menos uma dor de cabeça para se preocupar.

Anónimo disse...

Voto o SIM, voto, porque mesmo que ganhe o Não, os abortos vão acontecer à mesma, com a diferença de que são feitos sem condições e por pessoas não tanto adequadas para o fazer.

Voto SIM pela desigualdade que existe porque quem tem dinheiro vai a Espanha fazer o aborto, quem não tem ou o faz ilegalmente e por meios que muitas vezes não são bons para a sua saúde, ou tem o filho e não tem meios para “tomar conta” desse filho, e já para não falar das mães que têm o filho e depois o deixam jogado no lixo ou à beira de um rio para que o tempo cuide da vida do Bebe que acabou de nascer.

jaoa bandeiras disse...

viva o SIM!!!!

Search