edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 31.8.06



Residindo actualmente em Madrid mantém algum tipo de contacto com a sua cidade natal?
Sim, de dois em dois meses, aproximadamente, volto a Elvas para visitar a família, os amigos, e para descansar um pouco do stress de Madrid, que é uma cidade cheia de gente e de movimento, e adoro viver cá...mas é verdade que por vezes um pouco de tranquilidade não faz mal a ninguém.
Além disso, falo ao telefone com muitos dos meus amigos de Elvas, falo quase todos os dias com a minha família, e também vou seguindo as notícias da cidade através dos meios de comunicação locais. Neste momento não me vejo a viver em Elvas, mas as saudades apertam, e a verdade é que como cidade gosto de Elvas...mas não para viver por agora! Mas sou um acérrimo defensor dos "direitos dos elvenses", os meus colegas de trabalho tinham de me ouvir todos os dias queixar-me do fecho da nossa maternidade!:)
Como correspondente em Espanha da Revista “Futebolistas” e um dos pilares do blogue http://terceiroanel.weblog.com.pt/ como analisa o estado actual do futebol português?
O futebol português, no que respeita ao "futebol jogado", penso que está num bom patamar. Quando ouço alguém dizer que as nossas equipas não são nada de especial, refiro-me sempre aos rankings, que não mentem...e se formos ao ranking da Uefa, vemos que se nós somos maus, então a maioria dos outros são bem piores que nós! E as vitórias do FC Porto em várias competições europeias, as boas carreiras de Benfica, Boavista e Sporting, por exemplo, são sinal de que se calhar somos melhores que a grande maioria dos outros países...e mesmo se me disserem que só somos bons porque o nível europeu actual é baixo, também não penso que isso seja verdade.
A nível de selecção, penso que estamos no escalão mais alto, podemos aspirar a tudo, e sou dos que gosta de Scolari... fazer o que ele está a fazer é obra, e sobretudo trouxe credibilidade à selecção, algo a que não estávamos habituados...
No que respeita à estrutura do nosso futebol, aí as coisas estão piores... os dirigentes são pessoas que nunca entendi porque é que são tão mesquinhos, criam casos de coisas fáceis de resolver, criam conflitos, e nem conseguem sequer "controlar" o próprio clube (cada vez vemos mais clubes sem dinheiro...) É uma balbúrdia... e isso é que tem de mudar no futebol português!
O blogue http://terceiroanel.weblog.com.pt/ é uma das referência nacionais na blogosfera sobre futebol, sendo um trabalho de equipa, com vários cronistas, comentadores, treinadores de bancada e uma infinidade de comentários fazem deste projecto uma aposta ganha?
É um projecto que tem de evoluir ainda, e está a passar uma fase de certa transição... sempre que lia aquele blogue ficava fascinado com o que aqueles pessoas sabiam de futebol... são pessoas que adoram futebol, sabem muito, adoram conhecer aqueles pequenos detalhes que trazem "magia" ao futebol. E teve um grande timoneiro, o Rui Malheiro, que saiu para trabalhar no Boavista, e que é um autêntico génio a nível de conhecimentos desportivos. Mas há mais jovens, que em part-time escrevem no blogue, que fazem daquele projecto algo aliciante, e sinto-me honrado por partilhar com eles aquele espaço, onde podemos ficar a conhecer dados que nunca aparecem nos jornais desportivos.
Mas agora sairam vários elementos, e estamos a passar uma fase de transição. Mas queremos continuar a lutar por um blogue que tem leitores assíduos e diários, que comentam ( e muitas vezes aportam dados de grande valor) e sentem que aquele blogue é "um outro jornal ", que podem ler diariamente como podem ler os outros jornais diários desportivos. Em resumo, um grande projecto, com gente excelente, e sinto-me honrado de fazer parte do mesmo.
Em relação ao O Elvas CAD, que teve uma brilhante segunda volta no campeonato 05/06 sob o comando de Paulinho, reforçado com a eleição da nova direcção, fazem prever uma época regular para este clube?
Penso que vai ser outra época complicada, infelizmente. A nova direcção vê-se a braços com muitas dívidas, os jogadores vão chegando e vão saindo constantemente, pelo que não há um grupo bem formado e estruturado (pelo menos foi o que aconteceu no ano passado), e a série da III Divisão em que está englobado não é fácil. Espero que me engane e lute pela subida, mas não acredito. Agora, espero que apostem mais na "prata da casa". Há dois anos a equipa tinha muitos jovens da região, e conseguiu manter-se. No ano passado, apostou-se mais em jogadores " de fora", e não fizeram melhor que os jovens do ano anterior, já que nunca lutaram pela subida...para isso prefiro que utilizem ex-juniores, que parece haver alguns de boa qualidade. Mas o clube tem tido muita indefinição, e aquela dívida que tem, e que continua a subir, não me parece normal. Penso que será necessária uma muito boa gestão para superar esta fase, e esta direcção tem a vida difícil...e quem paga é a equipa de futebol, claro, que com tanta indefinição sofre também...
Porventura uma das suas maiores experiências profissionais prende-se com os atentados da Estação de Atocha a 11/03/04, onde colaborou com a TVI. Com dois anos decorridos desde então como recorda esses dias?
Foram dias muito, muito tristes, mas naquele momento, com tanta emoção e tanta confusão, a verdade é que fiquei um pouco "anestesiado". Levanto-me de manhã, recebo uma mensagem a dizer que houve um atentado, vou trabalhar, e de repente entendo que se passou e ligam-me para colaborar com a TVI. Isto num espaço de duas horas, desde que me levantei até estar num dos locais onde tinham rebentado bombas. Foram muitas emoções juntas, mas como estava a trabalhar conseguia fugir um pouco aqueles sentimentos.
O pior foi depois, quando "parei", e tomei consciência do que sucedeu, e ver como os madrilenos se sentiam. Foi uma espécie de tristeza colectiva, também de revolta (a manifestação no dia depois, à chuva, foi algo que penso nunca poder voltar a viver), mas também foram momentos de amizade, solidariedade, algo que com o tempo já se perdeu, infelizmente... Lembro-me de estar no metro na tarde dos atentados, e ninguém falava, as pessoas estavam cabisbaixas, e havia uma tristeza tremenda. Foram momentos complicados, mas que a cidade de Madrid superou, e acabou por ser um momento único na cidade, com a solidariedade a ser o sentimento mais forte. Espero que nunca mais passe aqui e que Portugal nunca sofra uma coisa igual...
Como jovem elvense emigrado, que teve que rumar a Lisboa para estudar, nunca pensou que o seu futuro profissional passaria por Elvas?
Pensei muitas vezes, mas penso que não seria o melhor para mim, a nível profissional, pelo menos neste momento. Há pouco emprego em Elvas para jovens, e na minha "área" menos ainda... já estive a trabalhar na nossa cidade, mas... não me habituaria a viver em Elvas depois de viver e trabalhar em Madrid, que é uma cidade que oferece muito mais vantagens a nível cultural e de diversão, além de também a nível profissional oferecer "outras coisas". Já ninguém me tira a minha ida à FNAC todos os sábados, por exemplo... Também penso que os jovens se deparam em Elvas com muitos "chefes" que não entendem bem as nossas ideias. Falo por mim, deparei com pessoas espectaculares, mas também tive de trabalhar em Elvas com pessoas que nunca de lá saíram, mas que quando eu dizia ou fazia algo fora dos "padrões normais", não o aceitavam de bom grado. Para que os jovens se sintam bem a trabalhar em Elvas, penso que é necessário, além de uma maior oferta de emprego, uma mudança de mentalidade dos "patrões". Se bem que há excepções, e eu pude trabalhar com algumas dessas excepções. Por outro lado, também posso dizer que preferia trabalhar em Elvas do que em Lisboa, uma cidade de que não gostei, por diversos factores que se conjugaram (mal) todos ao mesmo tempo. Para viver e trabalhar em Lisboa, acho que preferia Elvas, sempre a qualidade de vida é bastante superior, naquilo que eu considero serem condições de vida (o preço das coisas, a funcionalidade da cidade, a tranquilidade...). Enfim, penso que nos próximos tempos, a não ser que surja um projecto aliciante que me cative, não vejo o meu futuro profissional a passar por Elvas...mas nunca se sabe!
Está Elvas condenada a ver partir os jovens?
Neste momento penso que sim, mas gostaria que as coisas mudassem. Tenho amigos que vivem e trabalham em Elvas, e conseguiram um bom trabalho, boas condições...mas acho que são excepções, na maioria dos casos é muito difícil para um jovem qualificado encontrar trabalho em Elvas. E as coisas estão a mudar em relação a que os jovens elvenses já não pensam tanto em ir trabalhar para Lisboa, mas sim para o estrangeiro. Talvez também devido à conjuntura que o país atravessa, conheço elvenses qualificados que foram viver e trabalhar para o estrangeiro, e conheço muitos outros que também querem... ou seja que se calhar a culpa de que os jovens queiram partir não é só de Elvas, é culpa do país e da situação pela qual atravessa. No meu caso, por exemplo, recebi ofertas para trabalhar em Espanha, e de Portugal nem uma resposta às dezenas de curricula que enviei... assim é difícil! Se a isso juntarmos que em Elvas há pouca oferta de emprego... as coisas complicam-se, e por agora os jovens têm mesmo de procurar ganhar a vida noutros sítios... eu consegui arranjar uma " nova cidade natal" em Madrid, cidade que adoro e me tem oferecido uma qualidade de vida fantástica, mas um dia gostava que as coisas mudassem em Elvas, e muitos dos que agora estamos fora da cidade voltássemos... tenho esperança que me ofereçam um dia um projecto aliciante!
Numa altura em que os meios de comunicação social elvenses parecem manipulados económica e/ou politicamente, qual é a sua análise sobre os mesmos?
Eu trabalhei em vários meios de comunicação social em Elvas, e se bem que agora já estou um pouco afastado do tema (há coisas que me contam que eu não faço ideia se são verdade ou não) é um pouco triste a luta que há entre eles, entre eles e o poder político, entre eles e certas "personagens" da cidade... quanto a mim um dos grandes problemas da cidade é que há pessoas que são muito conhecidas, estão metidas nos meios de comunicação, nos clubes, na política, etc., que quanto a mim não lhes interessa minimamente "fazer o bem" pela cidade ou pela instituição que representam, o que querem é protagonismo. E nos meios também há pessoas que pelos vistos procuram mais lutar por eles próprias do que pelo meio em questão. Aquelas brigas entre a Câmara e alguns meios (e não sei de quem é a culpa, não passo o tempo suficiente em Elvas como para o entender), e a aparente "cumplicidade" com outros, por exemplo, penso que não ajudam em nada a cidade, e tornam o ambiente complicado para quem trabalha nesses meios, que tem que lutar ou satisfazer certos poderes... numa cidade pequena todos deviam remar para o mesmo lado, mas em Elvas cada vez há mais brigas mesquinhas que não são nada boas para a cidade. Mas atenção, se falar das pessoas que trabalham no dia a dia nesses jornais, há profissionais de grande qualidade, e que muitas vezes nem sequer são muito valorizados...
Que lhe falta em Madrid que teria se estivesse em Elvas e vice-versa?
Sinto a falta da minha família, de muitos amigos, e penso que Elvas oferece uma tranquilidade que aqui em Madrid é complicado ter... além disso come-se muito melhor em Elvas, e podemos sair e é fácil encontrarmos pessoas conhecidas, não temos que combinar um local exacto, não há problemas para estacionar, está tudo muito mais perto... e também se nota a diferença de preços, que é brutal. Um exemplo: um café em Madrid num bar minimamente engraçado pode custar 1 euro e meio, dois euros!
Por outro lado, Madrid oferece-me muitas coisas que em Elvas não teria, já que a nível cultural, de diversão, é uma cidade fantástica, e eu tenho aproveitado isso nos últimos 3 anos. E a verdade é que também é mais fácil fazer amigos, é uma cidade muito hospitaleira, aqui se tivermos uma mentalidade minimamente aberta é fácil conhecer pessoas de todo o mundo. Tenho de admitir que adoro Madrid, mesmo tendo alguns problemas de Insegurança e de excesso de população.
Mas é curioso que muitas vezes os próprios espanhóis me fazem recordar Elvas e as suas coisas boas. Tive situações fantásticas. Por exemplo, a dona de um restaurante turístico da Porta do Sol uma vez perguntou-me de onde eu era, e quando digo de Elvas, diz-me que vai muito a Elvas e Badajoz desde pequena, e que adorava ir ao Arco-Íris, porque tinham de tudo e barato! Ou professores catedráticos a dizerem-me que adoram comer em Elvas...uns no El Cristo, outros na Bolota Castanha, outros noutros restaurantes...só aí se vê a boa oferta hoteleira de Elvas!
Qual a noticia que lhe gostaria escrever sobre o seu torrão natal?
Haveria muitas, mas por exemplo gostava de escrever que Elvas tinha sido escolhida para albergar um projecto a nível internacional que iria dar uma visibilidade incrível à cidade, e que pudesse voltar para uma cidade com mais emprego, mais oferta a todos os níveis...mas sei que isso seria utópico neste momento!
Mais "a sério", gostava de escrever que Elvas tinha sido considerada Património da Humanidade, porque podia dar outra visibilidade à cidade, e dava-me a razão quando digo a toda a gente que Elvas é muito bonita, e que muitos elvenses acabam por desconhecer (também falo por mim...mas por exemplo gostei muito do Museu Militar, e poucos elvenses lá entraram...).
Falando a curto prazo, uma boa notícia seria a abertura de novas empresas na cidade, e adorava escrever que " O Elvas" tinha subido à II Divisão.Tantas notícias que eu gostava de escrever sobre a nossa cidade...

6 comentários:

Anónimo disse...

Estes posts que o Zé faz são os mais interessantes que o blog tem. Mas estes são precisamente aqueles que ninguém comenta! Se fosse uma brejeirice a criticar o rondão já tinha 100 comentarios.
Resumo: esta cidade é ridícula.

TORRE DE ATALAIA disse...

Estimado Anónimo
Nao querendo ser desmancha prazeres mas concordando com a sua generalizada opiniao, observo que desta vez e depois de ler a entrevista do moço, pouco ou nada há de interessante na entrevista. Há referencias a lugares comuns e as observaçoes críticas sao ambíguas e ou demasiado ligeiras. Com todo o respeito pelo jovem que teve de abandonar Portugal, devo dizer que em minha opiniao pouco ganhámos com a entrevista. Quanto ao jovem auguro sucesso na sua vida profissional.
Sr Anónimo que há a discutir sobre o assunto da entrevista?

Anónimo disse...

DESDE MADRID AL CIELO; dice una canción

Anónimo disse...

Caro Sr. Torre de Atalaia. Sou o Luis Gonçalves, o entrevistado. Obrigado por ter lido a minha entrevista, e aceito a sua crítica sem qualquer problema. No entanto, é claro que esta é uma entrevista curta, feita por mail, sem que esteja alguém a "picar" para conseguir obter respostas mais " politicamente incorrectas". É por isso que se calhar algumas coisas me passaram por alto...de qualquer forma, se quiser que fale de algum tema em especial que ficou um pouco "ambíguo", esteja à vontade!
Um grande abraço para todos os leitores deste blog, e em especial para o Zé de Mello,
Luis Gonçalves

TORRE DE ATALAIA disse...

Estimado |Luis, obrigado pela sua respostta. Nao leve a mal o que referi, apenas expressei uma opiniao. Quanto ao espicaçar é certo o que vc diz e por vezesn deixamos passaar a oportunidade das coisas. Pese a tudo, continuo desejando-lhe as maiores venturas porque até compreende e mais do que aquilo que o meu estimado Amigo possa imaginar, o quao triste é termos de fugir da nossa terra por mor das incompreensoes quie refere. De facto, quem nunca saiu, custa a admitir que há outro mundo nao é assim?
Uma vez mais as maiores venturas e de longe um abraço

Anónimo disse...

Já fui emigrante e se naquela altura fosse possível contactar com a realidade Elvense a minha estadia no estranjeiro teria sido mais facil.
Hoje um dos muitos emigrantes elvenses espalhados pelo mundo desde Madrid, vem dar um exemplo do que é a vida longe da sua cidade natal de onde saiu á procurando trabalho e que embora realizado profissionalmente, gostando do que faz,e onde está,não deixa de por a hipotese de voltar, se houver um projecto interressante.
infelismente,é mais um que não volta.

Search