edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 7.9.05
Etiquetas:


Como me parece ser uma ideia a considerar e já em marcha no Palácio do Regedor, dediquei-me nos últimos dias a estudar esta coisa de carimbar objectos, edificios, espaços e até coisas sem corpo como Património da Humanidade.
Para que fique claro a todos os Conselheiros sou favorável a esta candidatura e desde este espaço farei o possível para contribuir para este facto.
Todo o processo é liderado pela autarquia mas de facto esta será apresentada pelo Governo da Nação ao organismo internacional que tutela este carimbo, a Unesco.
Como primeiro passo terá que se seleccionar o bem a classificar, no caso elvense esta descrito "Fortificações de Elvas" a incluir na lista indicativa.
1ª dúvida que pelo que me é dado a perceber nem a comissão cientifica ainda decifrou: o que são as Fortificações de Elvas? Quais são os edificios a classificar? Que troço de muralhas? Que fortes, fortins ou atalaias? Que edificios de uso original militar serão incluídos? Quais se revelam de "excepcional valor universal"?
Pois meus Conselheiros julgo que esta tarefa não me parece fácil dado ser Elvas uma cidade castrense desde a sua génese e em que se confundem espaços militares e civis!

4 comentários:

Rui Jesuino disse...

Para algum bem chegar à categoria máxima de Património da Humanidade o bem a classificar tem que cumprir diversos critérios: representar uma obra prima, testemunhar um intercâmbio de influencias consideráveis durante um dado período ou dentro de uma área cultural determinada, sobre o desenvolvimento da arquitectura, das artes monumentais, da planificação das cidades ou da criação de paisagens, revelar-se um testemunho único ou pelo menos excepcional sobre uma civilização, oferecer um exemplo eminente de um tipo de construção ou de um conjunto arquitectónico único, entre outros. Na nossa cidade de Elvas só alguns bens conseguem preencher estes critérios: as muralhas seiscentistas, os fortes e quiçá o Aqueduto da Amoreira. Sendo assim, serão esses os monumentos a classificar, ainda que se possa incluir os restantes três panos de muralha e o castelo.
A classificação de Património da Humanidade é muito difícil e exige o esforço de todos os elvenses e não só. Por exemplo, uma das exigências da UNESCO é a de que o bem a proteger mantenha um "Genius Loci", ou seja, o espírito do lugar. Assim, é fulcral não só que Elvas continue a ser uma cidade militar mas que toda a população sinta como sua esta candidatura e faça tudo para ela ser possível.

Xanu disse...

Todos ...seremos poucos para apoiar esta candidatura. Espero que os elvenses se saibam unir e lutar por algo que só dignificará a cidade.

Ze de Mello disse...

Caro Conselheiro Jesuino por ventura saberá V. Exas. como podemos acompanhar os trabalhos que estão a ser elaborados para atingir esse fim?
Teremos direito a ser informados e acompanhar? Penso que só assim envolveremos o povo nesta odisseia.

Rui Jesuino disse...

Os trabalhos ainda estão no início. Seguir-se-ão até ao dia da candidatura alguns eventos em que a população poderá, não só acompanhar, mas participar nesta caminhada. Só a informação e o acompanhamento passo a passo desta maratona levará os elvenses a estar cientes do que está em jogo.

Search