edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 21.7.10
Etiquetas:


"Essa obra tem um único objectivo, que é salvaguardar a segurança humana, e gostaria de manifestar publicamente o meu apoio ao comportamento do Exército nesta questão, porque tem sido absolutamente exemplar na forma como tem respeitado escrupulosamente as determinações, quer oriundas da área ambiental, quer oriundas da área cultural”, assim se pronunciou Augusto Santos Silva, ministro da Defesa questionado pelo jornal Público sobre a demolição da Igreja de S. Paulo em Elvas.


Continuou ainda afirmando “Nós fazemos as coisas de forma a que as obras que temos de fazer tenham o mínimo risco e prejuízo possível em termos ambientais ou em termos de património cultural, agora, gostaria de salientar publicamente a importância que concedo à preocupação do Exército, que é uma preocupação não só de assegurar os critérios ambientais e culturais, mas também de olhar para a vida humana, para a segurança das populações”... “ao menos o Exército, coloca também a pessoa na equação que é preciso considerar”.

“Gostaria que todos os intervenientes fizessem o mesmo”, concluiu.


TODOS SOMOS ELVAS!!
2010 ANO DA EUROCIDADE
Share/Bookmark

2 comentários:

Zé de Melro disse...

O argumento das pessoas também foi usado pelo Senhor Presidente para justificar a frustrada demolição.

No insuspeito Linhas de Elvas de 15 de Julho, 4 dos 5 entrevistados do inquérito semanal defendem a demolição, afirmando M.ª Monteiro:

1 - "deve ser demolido e quanto mais depressa melhor";
2 - "A fachada é muito bonita mas está velha e partida, logo não faz mal que se leve por diante a decisão de deitar tudo abaixo"
3 - "Se a demolição se concretizar deve ser pensado que destino pode ser dado ao espaço".

Os Munícipes de Elvas são contra o Património?
- Claro que não!!!!

A máquina de propaganda do Partido Socialista é que manipula a consciência das pessoas.

Quanto ao ponto 3 das declarações de M.ª Monteiro, é completamente elucidativo - "dar destino".

Aos Monumentos não tem que ser "dado destino", não têm que ser úteis e muito menos destruídos.

Têm que simplesmente ser respeitados como memórias (neste caso lindas), do nosso património cultural.

É UNESCO por um lado e é destruir por outro...

Justiceiro Implacável disse...

O Zé de Mello anda aqui a apregoar defesa de um prédio que ardeu há mais de 200 anos e de que nenhum PSD quis saber até hoje?

O vosso padrinho Paulo Portas não foi Ministro da Defesa? E o que fez pelo património de Elvas ou pelo Convento de São Paulo?

Ah, pois, fechou a Casa de Reclusão e o Tribunal Militar e deixou o prédio ao abandono!
É ele o principal responsável, nos 2 Governos de coligação com o PSD, pelo estado a que a Igreja chegou.

Vão vender banha da cobra mentirosa para outro lado. A Câmara de Elvas faz mais num minuto em defesa do património do que vocês (os mesmos de sempre! que a criticam) fazem na vossa vida inteira.

Search