edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 13.7.10
Etiquetas: ,

Para:


Como é do conhecimento de V. Excelências, Elvas, desde sempre conhecida como a Chave do Reino é detentora de uma património militar invejável, tanto na quantidade como na qualidade.

Dos inúmeros edifícios militares somente cinco estão reabilitados e com novas utilizações. Refiro-me a:

1 – Forte de Santa Luzia – Actualmente sob a tutela da Câmara Municipal de Elvas e utilizado como Museu Militar;

2 – Trem – Sob a tutela do Instituto Politécnico de Portalegre e onde funciona a Escola Superior Agrária de Elvas;

3 – A Casa das Barcas – Sob a tutela da Câmara Municipal de Elvas e actualmente transformada em Mercado Municipal;

4 – Quartel do Regimento de Infantaria de Elvas, actualmente sob a tutela do Ministério da Defesa onde está em instalação o Museu Militar da Guerra do Ultramar;

5 – Hospital Militar, sob tutela privada e onde funciona actualmente o Hotel São João de Deus.


Só que esta é uma pequena parte de um vasto conjunto de construções militares de onde se destaca o Forte de Nossa Senhora da Graça, obra maior das fortificações militares.

Acontece que este vasto património está ao abandono e em degradação acelerada, sendo que a última “vítima” foi o Convento de S. Paulo, onde funcionou o Batalhão de Caçadores 8 e ultimamente o Tribunal Militar e Estabelecimento Prisional Militar de Elvas. E digo vítima porque entrou em derrocada e o mais provável será o seu desaparecimento.

Os peticionários têm a noção que para o restauro do referido património são necessárias verbas enormes e que a presente crise económica em nada vem favorecer, não se vendo uma solução viável num futuro próximo que evite o colapso geral do dito património.

Assim sendo o grupo de cidadão que abaixo assinam esta petição, vêm propor o seguinte:

1 – Passagem da tutela de todos os edifícios militares não utilizados para a tutela da Câmara Municipal de Elvas;

2 – Esta, não tendo também as verbas necessárias para o seu restauro imediato, tem a capacidade de ir interferindo nos casos mais urgentes;

3 – A médio prazo a Câmara Municipal de Elvas tem a capacidade de concorrer a programas comunitários que lhe permitam o efectivo restauro e reutilização.




TODOS SOMOS ELVAS!!
2010 ANO DA EUROCIDADE
Share/Bookmark

4 comentários:

Zé de Melro disse...

Já publiquei no meu blog o link do blog "Tasca das Amoreiras" e a intenção era mesmo destruir a parede monumental lateral da Igreja de São Paulo, como mostro com a fotografia do cartaz das obras em curso.

OS ANDORINHÕES SALVARAM O CONVENTO!

E a parede monumental tem solução. Basta ser escorada com armadura de betão por dentro e por fora da Igreja, explico como no meu blog!

Zé de Melro disse...

Mas sobretudo porque se a tutela dos edifícios militares passar em definitivo para a Câmara, se acabam as desculpas com o governo central e o desleixo deixa de ter essa desculpa.

Apesar de tudo, nunca os militares destruiram património como aconteceu com o arranque do velho Chorão(em terreno militar, escadas do quiosque do viaduto) e destruição do banco circular de pedra à sua volta!

elvense disse...

Já existe outra petição a decorrer em:

http://www.petitiononline.com/paulista/

AMCS disse...

Espero, para o bem de Elvas e da (pouca)credibilidade dos políticos, que quando este presidente da câmara, e o seu partido, abandonarem os destinos da nossa cidade não fiquem a descoberto situações menos claras que tenham estado encobertas pela " monstruosa máquina propagandística" que tem sido criada e alimentada (muitas vezes encabeçada por media que deveriam ser isentos)ao longo de todos estes anos.

Haja inteligência e bom senso, não permitam a demolição da igreja de S. Paulo.

Search