edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 13.4.10
Etiquetas:


Deve o Palácio do Regedor responsabilizar-se pelo serviço público de transportes urbanos?

Desde há muito que o problema tem sido alvo de atenção do blogue e do Executivo. A guerra entre o Regedor e o Grupo Barraqueiro passou várias fases, incluíndo o Terminal Rodoviário da Cidade, o estacionamento dos autocarros da empresa na via pública, o concurso para a concess
ão do Cemitério, etc.

A concess
ão do serviço público pertence à Rodoviária do Alentejo, que finda a obrigaç
ão da Funelvas em patrocinar o serviço, o encerra uma vez mais deixando o burgo sem este serviço. Obviamente sem um número suficiente de utilizadores esta rescindiu as carreiras, mas onde termina o negócio e começa o serviço público...

Deve o Palácio solicitar ao IMTT a nulidade da concess
ão à Rodoviária do Alentejo do serviço público de carreiras urbanas pelo incumprimento do mesmo e candidatar-se a este serviço?

Deve ser criada uma empresa municipal de mobilidade e estacionamento que gestione estes dois serviços?

Deve o Palácio prosseguir uma política de divulgação dos benefícios que representa a utilização destes transportes e o condicionamento da utilizaç
ão dos meios particulares, sobretudo no Centro Histórico?

Ficam as dúvidas deste Velho Conselheiro.

TODOS SOMOS ELVAS!!
2010 ANO DA EUROCIDADE
Share/Bookmark

4 comentários:

Manuel Sobreiro disse...

"...e o condicionamento da utilização dos meios particulares, sobretudo no Centro Histórico?"

Escreve o Zé de Mello que quer ajudar a alimentar o delírio "Elvas-UNESCO-Turistas-em-Calções".

Quando há um blogger que escreve "Elvas não está preparada para receber os turistas", isto é uma farsa de meia dúzia para encherem os bolsos.

Nunca existirá uma "Elvas-UNESCO-Turistas-em-Calções", mas a má-fé continua, agora com condicionantes ao trânsito no Centro Histórico.

O plano de pedonalização do Centro Histórico foi decidido nas costas dos que vivem e/ou trabalham no Centro.

Os condicionamentos à utilização no Centro de veículos por particulares nunca abrangerá os políticos, casta superior que nunca poderá ser condicionada.

Porra, devolvam o estacionamento TODO que roubaram e devolvam Elvas aos Elvenses!

Manuel Sobreiro disse...

Mas para tonto tonto e meio.
Algumas ideias para melhorar o Centro:

1 - A Câmara que obrigue os proprietários a recuperar as casas em ruínas;

2 - A Câmara deve multiplicar por 100 o IMI dos proprietários que recusarem fazer obras;

3 - A Câmara deve comprar as casas dos proprietários que não forem capazes de pagar o IMI, recuperá-las e montar uma loja em cada casa(como fez ali por cima da Casa das Barcas com as casas dos artesãos);

4 - A Câmara deve distribuir estas lojas recuperadas com rendas baratas pelos beneficiários do RSI e assim convertê-los em ricos comerciantes;

5 - A Câmara além de proibir o estacionamento em todo o Centro, deve também convertê-lo em totalmente em pedonal(excepção da entrada/saída do Parque Subterrâneo JARA);

6 - A Câmara deve ajardinar os estacionamentos da Parada do Castelo e Casa das Barcas;

7 - A Câmara deve contratar animação de rua com figurantes de "Turistas-em-Calções"(para manter as aparências quando diminuir o fluxo de turistas);

8 - A Câmara deve mandar uma brigada de forças policiais retirar as antenas de TV a cada casa do Centro e processar por crime de desobediência à Autoridade os desobedientes(chega de boicotes contra a UNESCO);

9 - A Câmara deve não só iluminar a Torre Fernandina, como colocar-lhe um sofisticado sistema "laser" de modo a que Elvas-UNESCO seja vista do espaço.

São só algumas "dicas" que os "cientistas" devem aproveitar, se bem que aos "cientistas" não faltem ideias. E que os proprietários de casas em ruínas sejam duramente castigados!

Manuel Sobreiro disse...

Desculpem a adenda, um cientista deu-me uma ideia nova:

10 - A Câmara deve montar e manter um sistema de transportes públicos.

cantosdacarreira disse...

TAXIS-UMA SOLUÇÃO!

Search