edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 15.4.10


Em declarações à Rádio Renascença o Regedor declara que ou recebe o aval para avançar com as obras de requalificação do património militar da cidade ou deixará de actuar nesse património, podendo inclusivé colocar outdoor eximindo-se de tais responsabilidades pois elas pertence ao Ministério da Defesa.

Como sabemos o Palácio tem tentando que o Governo da Nação lhe ceda ou venda, por preço razoável, alguns edifícios para deles se encarregar e deste modo revitaliza-los e cumprir uma das premissas do Comité da UNESCO no que concerne ao usufruto do património pela populaç
ão.

Caro Regedor, garante-lhe este Velho Conselheiro que, se V. Exa. desejar ocupar os edifícios ou lançar a populaç
ão à rua, estará na primeira linha desta nova "batalha" por Elvas.

TODOS SOMOS ELVAS!!
2010 ANO DA EUROCIDADE
Share/Bookmark

7 comentários:

Justiceiro Implacável disse...

“a Câmara não necessita de um cêntimo do Ministério da Defesa. A Câmara tem dinheiro e também tem apoio dos fundos comunitários para executar as obras”.
DECLAROU RONDÃO ALMEIDA.

Os "avais" ou fianças só se põem em causa quando há fundos ou dinheiro em causa.

Então de que é que Rondão Almeida precisa, se não precisa de dinheiro?

Um contrato de cedência?
Rondão Almeida sabe como é que o Ministério da Defesa despacha favoravelmente qualquer transferência de responsabilidade e até de titularidade,(com um simples telefonema prévio) desde que isso não implique despender verbas por parte do Governo.

Rondão Almeida até disso tem experiência, pois interveio em Monumentos Militares antes, no próprio Forte da Graça.

ENTÃO QUAL É A VERDADEIRA QUESTÃO?

RESPOSTA: Há necessidade de "descartar" culpas em relação à questão da UNESCO, que Rondão Almeida sabe que vai perder, pois Elvas nunca passará da Lista Nominativa da UNESCO, e desta LISTA um só Monumento de Portugal poderá ser promovido.
(Na próxima inclusão que ninguém sabe quando é...).

O "dossier" de Elvas está mais mal preparado que os outros de Portugal e a responsável pelo "dossier" é Elsa Grilo.

Quando for a próxima inclusão de um Sítio de Portugal como Património da UNESCO e Elvas continuar à espera, Rondão Almeida vai "sacudir a água do capote" e atribuir as culpas ao Ministério da Defesa, para desculpar e proteger Elsa Grilo.

Só um cego é que não vê!

cantosdacarreira disse...

Agora vamos ver a importancia que Rondão Almeida tem para os seus pares do PS,lembram daquela que Socrates tinha medo da lingua de Rondão?vamos esperar para ver. Devo avivar a memoria aos elvenses,do episodios da maternidade,etc.etc.

Manuel Sobreiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Isabel I disse...

Mas não se pode exterminá-lo?

portasdarraveça disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Justiceiro Implacável disse...

Paulinho Portinholas que assinas com o meu nick de Justiceiro e que dizes tanta parvoeira às 10:30 da manhã, quando devias estar a trabalhar para não seres governado por outros...

Por isso é que tens uma empresa mediocre que mal dá para te pagar o ordenado...

Por isso é que vais ganindo tanto contra os que lá estão, a ver se consegues um lugar na Câmara...

Vai ladrando, que a caravana passa.

Justiceiro Implacável disse...

Concordo com a Isabel I, mas os porcos não estão à beira de extinção.

Extinguem-se a eles próprios porque morrem envenenados pela própria língua. 6 - 0.
Próximas: 7 - 0.

Custa-lhes muito, mas não aprendem.
Uma espécie de cruzamento suino com asinino.

Search