edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 20.1.10


Encerrando, por agora este tema do re-re-remodelado Largo da Misericórdia e da estátua, faltava a este Velho Conselheiro refletir sobre a vertente política e o "timming" em que este foi trazido à ribalta.

Recordemo-nos que o PSD/CDS utilizaram o regresso da Fonte ao Largo homónimo como arma política nas últimas eleições locais, não tendo posteriormente tomado outra qualquer postura sobre o tema ou apresentado propostas quer ao Executivo quer à Assembleia Municipal! Inclusive esta sua postura sobre a Fonte coincidiu com o facto de a mesma estar oculta por um poster gigante da sua líder nacional.

Quanto ao Regedor, que por primeira vez fez retirar uma placa com o seu nome, obviamente substituindo-a por outra, demonstrou-se um líder nato e um político perspicaz, afirmando que o tema era passível de referendo local, isto é, não se sente ele mandatado para tomar essa decisão, calando assim aqueles que se manifestaram contra a solução que se inaugurava. É mais perante este tema, e concerteza não pondo em causa os técnicos municipais, propôs a criação da Comissão de Sábios para o aconselhar...

Enfim passou a batalha eleitoral e o assunto caiu no esquecimento, quer dos adversários políticos do Regedor quer do mesmo ou mesmo daqueles que muito se manifestaram sobre o tema nessa data.

Para terminar transcrevo aqui uma frase que nos deixaram no facebook: "o pobre Rei parece saído do anúncio da "AXE" , pequenino e castanho feito de chocolate!!!"


TODOS SOMOS ELVAS!!
2010 ANO DA EUROCIDADE

15 comentários:

Justiceiro Implacável disse...

Com a esquerda intelectual extra-muros(muralhas) a mandar no Centro Histórico, este vai morrer asfixiado com jardinzinhos para que uma população que já não existe os possa desfrutar.

A esquerda não compreende nem nunca compreenderá que só a iniciativa privada 1-Promotores 2-Construtores 3-Utilizadores/Arrendadores, poderá recuperar a metade das casas ao abandono.

Se não houver espaço vital, ou seja estacionamento nunca shaverá interesse dos privados pelo Centro.

Se a Fonte muda ou não do Largo da Misericórdia para a Praça 25 de Abril é indiferente, por mim até acho que devia mudar, para fazer um grande estacionamento livre na Praça 25 de Abril.

O importante era suprimir os ajardinamentos do Centro feitos por Rondão Almeida para restituir espaço vital.(Não incluo obviamente o Jardim das Viúvas)

Mas para a esquerda extra-muros que manda em Elvas, com lugar reservado ou sem necessidade de ir ao Centro o importante é fingir que faz obra, para na óptica de gestão dos seus projectos pessoais, se perpetuar no Poder tanto tempo quanto seja possível.

cantosdacarreira disse...

na loja do lençinho(onde era A FLOR)há réplicas muito parecidas,dantes os espanhois levavam as dezenas e não sabiam que o boneco era o prototipo da estatua que o CIENTISTA escolheu para colocar no largo da misericordia.

cantosdacarreira disse...

do largo da misericordia,se olharem para a rua do tabolado "parece uma das ruas do haiti",mas há outras piores!A OBRA QUE O "CIENTISTA" FEZ FORA DE PORTAS É INFERIOR AO QUE SE DEIXOU DETERIORAR DENTRO DE MURALHAS,EM VALORES MONETARIOS E PATRIMONIAIS.Provem o contrário.

Scottish disse...

Concordo que o Largo da Misericórdia está um verdadeiro mamarracho. A estátua do Rei não é digna de quem otorgou o foral de cidade a Elvas, e a frase colocada no Facebook do Zé de Mello adequa-se ao que podemos ver.
Todo o Largo deveria ser repensado pela edilidade, mas também sou da opinião que voltar a ser local de estacionamento, como solicita o Justiceiro Implacável, não é a melhor ideia.
No Largo poderiamos ter 10 lugares para estacionamento, não mais. Tudo bem que deveriam esses espaços servir os moradores, mas assim pensam que o Centro seria atractivo a quem o visita? Acho que não.
Na maioria dos Centros Históricos das cidades houve, há e haverá sempre problemas de estacionamento, pois nunca foram criados pelos nossos antepassados com espaço suficiente a pensar nos carros do futuro. No entanto é o Centro Histórico que poderá, pela sua beleza e história, trazer turismo a Elvas, de forma a deixarem Euros para o nosso comércio, restaurante, cafés e hotéis.
Temos aqui um problema complicado de resolver para todos. Penso que deve haver mais estacionamento, mas com critério e face ao que pretendemos que seja o nosso Centro Histórico, tendo em atenção que os moradores de certas zonas, como o Largo da Misericórdia, têm dificuldade em estacionar o carro.
Aqui está um problema complicado para o Regedor resolver neste mandato.
Um abraço

Justiceiro Implacável disse...

Qual é o teu problema ó anormal Zé de Mello?!

É que não é só este post, são sucessivos! Agora marra contra a fonte e contra as placas. O costume!

Não te deram algum projectozinho a fazer e que tu querias os eurinhos?

Não de deram publicidade este mês?

A tua cabeça de areia solta é influenciada pelas opiniões de reaccionários portinholeiros como tu porque tomas cafezinho com essa malta todos os dias e pensas que são eles que transmitem a opinião do povo. Enganas-te! Já devias ter tirado essa conclusão das eleições, mas pelos vistos vocês não aprendem...

És um cabeça de ventoinha ressabiado que leva o tempo a ofender o pessoal da Câmara e sobretudo o Presidente.

Da Câmara que metam a porcaria deste blogue em Tribunal e desmascara-se logo o filho da mãe que tem a pouca vergonha de ofender os outros anonimamente.

Ze de Mello disse...

"Da Câmara que metam a porcaria deste blogue em Tribunal e desmascara-se logo o filho da mãe que tem a pouca vergonha de ofender os outros anonimamente."

Caro Justiceiro Implacável, na democracia a na liberdade conquistada no 25 Abril'74 ganhamos direitos, entre os quais a livre opiniao, já se esqueceu!

De qualquer forma quem ofende quem?

Ze de Mello disse...

"Ainda não me tinha apercebido da placa. É impressionante que, quem quer que seja, queira o seu nome ligado àquela aberração. E fazer questão de demonstrar publicamente a sua ignorância, bem como a dos seus assessores. D. Manuel I ficará ligado a Elvas por a ter feito cidade, em 1513 e não por lhe ter dado foral em 1512. Convém saber que são duas coisas distintas. E em 1512 Elvas era obviamente, vila.
O que acho importante é que se rejeite semelhante mamarracho e seja feito um monumento por um escultor de renome, que poderia ficar à entrada de Elvas na rotunda em frente do aqueduto, uma vez que foi ele quem deu autorização para os seus primeiros passos. M.G."

recebido por email

Comunista Atento disse...

A opinião dos bloggers é unânime, Tasca, Scottish, Cidadelvas etc.

A conversa é sempre a mesma, visitantes e turistas.
São uma miragem que não existe.

Será que merece a pena sacrificar a população sobretudo pobre de uma linda cidade intra-muros por uma miragem que não existe?

Sr. Presidente:

Se não tem projecto para o Centro, deixe-o em paz.

Como diz a canção revolucionária do meu camarada cujo nome não recordo "PRA PIOR JÁ BASTA ASSIM"

Scottish disse...

Caro Comunista Atento,
A minha opinião de fazer do nosso Centro Histórico um local atractivo ao turismo creio ser legítimo, pois não acredito que quem visita Elvas vá ver, com os devidos respeitos, os bairros periféricos onde vivem a maioria dos cidadãos. Aí só temos casas!
Os turistas são uma miragem? Não estou de acordo. É óbvio que todos gostariamos de ver as ruas cheias de pessoas que nos visitam, mas que há quem venha a Elvas para a conhecer disso não tenho dúvida.
Para isso tem de haver, e aqui concordo consigo, um projecto de reabilitação da zona intra-muros por parte da edilidade.
Mas como não quero ver a nossa cidade estagnar, penso em turismo, em euros que possam entrar nas caixas dos nossos comerciantes, da nossa hotelaria. Isso sim é desenvolvimento, mas como disse no anterior comentário, a situação do estacionamento deve ser muito bem pensada por quem de direito, pensando em Elvas e nos Elvenses de uma forma global e clara.
Um abraço

portasdolivenza disse...

Ilustre justiceiro,o amigo está a esticar demasiado a corda,peço bons modos á blogosfera elvense,o tema acerca da cidade intra-muros é bastante interessante de opinar e discutir,porque não ir por esse caminho em vez dessa troca de mimos sem classe nenhuma.

portasdolivenza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ze de Mello disse...

Falta estacionamento no centro histórico? Nao! O Regedor fez um bom parque de estacionamento sob a Praça. Há várias zonas pagas e outras gratis.

Falta estacionamento para residentes? Sim. Creio que o problema reside, nunca melhor dito, neste tema precisamente... nao acham?

Manuel Sobreiro disse...

Boa M.G.!

Manel,-Guerra aos gajos!

Justiceiro Implacável disse...

Sr. Scottish:

Espaço os nossos antepassados deixaram-nos e muito, Rondão acabou com ele.

Casas também. Agora estão a cair.

É à câmara que compete recuperar?

Como? Porquê se têm dono?

Confirmo que é igual aos outros, infelizmente não percebe que a construção/reabilitação são negócios privados.
Enfim mais um pseudo-intelectual extra-muros.

Para mim estão em primeiro lugar os Elvenses e Elvas cidade viva e habitada, não um mausoléu!

portasdolivenza disse...

Ilustre zé de mello,o problema de elvas não é o estacionamento aqui ou acolá,é falta de gente,falta de estratégia do que se quer que elvas seja,é um problema de fundo e de dificil e onerosa resolução a revitalização do centro histórico,mas vamos acrescentando umas opiniões e fazendo umas criticas construtivas,mesmo que sirva para pouco,ficamos de bem com a nossa consciencia.

Search