edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 28.4.09
Etiquetas:


Na última edição do Linhas de Elvas encontrámos um texto que fazia referência ao mau estado de conservação que apresentam alguns edifícios no Centro Histórico, nomeadamente na outrora movimentada Rua do Tabolado.

Hoje queremos chamar a atenção para mais um atentado ao património castrense de Elvas. Os antigos quartéis da Faceira da Cisterna, que durante anos serviram de albergaria cavalar, apresentam-se a quem circula naquela artéria como um espaço abandonado, sem portas e aberto a acolher aqueles que vivem socialmente marginalizados.

Fica a chamada de atenção aos responsáveis militares, dado que os mesmos ainda pertencem ao Ministério da Defesa, bem como ás autoridades sanitárias e policiais.

2 comentários:

O Sítio do Picapau Rosa disse...

Durante uns anos houve um Senhor Coronel que altruisticamente mantinha aqueles espaços a troco de lá pôr uns cavalinhos.

Depois apareceu um Sargento invejoso que começou a escrever no Jornal e aquele Senhor que fazia a manutenção a expensas suas de um espaço público, indignado deixou aquelas instalações.

Aquele Senhor Coronel, ao contrário do Zé de Mello, sabia que o que pode ter dignidade para um equino, pode não a ter para um Ser Humano!

BARBARIS disse...

"A consciência da nossa identidade como povo obriga ao conhecimento da nossa cultura rústica - não apenas das suas manifestações vivas, mas também das suas formas periclitantes ou que vivem tão somente na memória dos mais velhos." (Michel Giacometti)

Search