edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 21.1.09
Etiquetas:


O édito de hoje tem destinatário definido, vai para o dono da cadeira mor no Palácio do Regedor.

Conforme aqui publicámos no dia 16 de Dezembro, para além do "Faro del Guadiana", novo centro comercial além-caia, do Dolce Vita e do Leroy Merlin, há outro grande investimento que procura situar-se na zona raiana do Caia e potenciar não só o mercado extremenho mas também o alentejano, falamos do IKEA.

Segundo a imprensa espanhola o gigante dos móveis "monte-você-mesmo", não tem até ao momento decidido a sua localização na Extremadura, e muito menos em Badajoz!
Apesar da intenção ser colocar um grande espaço comercial de mais de 300.000 metros, criando 2.000 postos de trabalho directos num investimento que ultrapassa os 200 milhões de euros, na zona do Caia, esta situação parece dificultada por o Ayuntamiento de Badajoz não ter terrenos e querer a sua localização na margem esquerda do Guadiana. Também os preços solicitados pelos proprietários na zona do Caia estão muito acima do mercado, sumando a isto o facto da já existência do novo Centro Comercial nesta zona. A marca sueca procura que a localização esteja servida por auto-estrada e junto a ela, de forma bem visível e perto da fronteira de forma a cativar o público luso.

Quem anda detrás deste empreendimento é também o Município de Mérida que já disponibilizou espaços para a localização do Inter-Ikea (loja Ikea e centro comercial) pretendendo assim captar o investimento.


E Elvas? Não tem a nossa Cidade capacidade para apresentar propostas a Grupo Ikea, propondo-lhe a localização da loja na zona do Caia Português? Fica a pergunta e a certeza que estas linhas não cairão em saco roto!

4 comentários:

issope disse...

O amigo Zé de Mello acha que a Câmara de Elvas ia dar resposta a isso?

É bom que não o faça, porque se dissesse que não os polítiqueiros da oposição vinham dizer que não se tinha interessado no assunto.

Se dissesse que estava a fazer alguma coisa os mesmos politiqeuros baratos vinha dizer que a Câmara tinha prometido o IKEA.

É melhor fazer o que faça mas ficarem bem calados. Se é que estão a fazer alguma coisa, mas "o segredo é a alma dos negócios".

E alguém acredita que se um grupo como o IKEA se quiser instalar nesta zona, se fixava em Elvas com 16 mil habitantes em vez de se fixar em Badajos que tem mais de 15o mil ?! Só se forem parvos.
Até porque a Câmara de Badajoz já disse que vai arranjar terreno de qualquer maneira.

Maria disse...

Fique o IKEA onde ficar, desde que seja na nossa zona será bom para nós. Há muitas pessoas de Elvas que trabalham em Badajoz e há muitos de Badajoz que residem em Elvas. Não vejo nenhum problema, se o IKEA se fixar em Badajoz de nós podermos trabalhar lá.
É mandar os nossos currículos assim que soubermos que isso vai acontecer.
Deixo a sugestão e alerta para agarrarmos as oportunidades perto de nós.

Badji disse...

Concordo em pleno com a sua ultima parte leitor "issope", alguém no seu perfeito juízo acreditará que um gigante como o Ikea podendo estabelecer-se num local onde residem mais de 150 mil pessoas pensará duas vezes? por mais que as propostas que a nossa autarquia possa apresentar ou já tenha apresentado, não me parece a mim que a relação investimento/lucro não seja tida em conta pelo Ikea. Agora também é verdade que a sua localização por si só não será obstáculo quer ao emprego quer ao movimento (compras) que criará, sendo Elvas ou Badajoz o seu destino.

Três horas da manhã disse...

Nós (entendam-se portugueses) ficamos sempre à espera! Cá esta mais um caso!

Ora isto do IKEA ficar no concelho de Elvas, não seria interessante somente para Elvas e os concelhos vizinhos, mas sim para Portugal e para o governo também (estas coisas vendem).

Posto isto, porque razão não se junta a Câmara de Elvas ao governo e fazem um esforço para puxar este empreendimento para o nosso país?

Cumps

Search