edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 20.10.08
Etiquetas:


Na semana passada a antiga renovada aliança de direita, formada pelo PSD e pelo PP de Elvas emitiram um comunicado que imediatamente foi respondido pelo PS, partido do governo local, em que se discutia as reduções de IMI e derrama recentemente proposta reduzir pelo Palácio do Regedor à Assembleia Municipal. Dar eco ao PSD e PP ocultou a pobreza que o Orçamento de Estado e o Governo da Nação dedicaram a Elvas. Tal guerrilha de comunicados leva este Velho Conselheiro a escrever este édito para que a memória colectiva não se deixe levar por aquele que mais alto fala. Vejamos pois:
  • Ocupação Municipal Temporária de Jovens, Ocupação Municipal de Tempos Livres, pagamento dos medicamentos aos idosos e a isenção do pagamento de água nos primeiros 3 metros cúbicos, são iniciativas que partiram do PS e da equipa de Rondão Almeida.
  • Cartão do Idoso (Idade de Ouro), Cartão Jovem Municipal e Câmara Mão Amiga, foram iniciativas apresentadas pelos partidos da oposição de direita, bem como a isenção e/ou redução dos impostos municipais.
Fica escrito.

3 comentários:

Tiago Abreu disse...

Muito bem. Alguem que com justiça olhe para a política local consegue discernir que a oposição não se tem limitado a criticar. As medidas de que fala são a prova disso mesmo!

tiago disse...

Fruta ou chocolate!

Visitem o meu blog www.camaradoscomunss.blogspot.com (comuns com dois "s") e divirtam-se à brava!

Eu Tiago sou o maior trapasseiro da cidade e o meu maninho gémeo é o maior ordinareco que há na história!
Grande macacada!

Um abraço do
Tiago

issope disse...

Não é verdade. O Cartão Jovem Municipal, o Cartão da Idade d Ouro e o Câmara Mão Amiga foram apresentados pelo Presidente da Câmara em campanha eleitoral.

Se o Zé de Mello tem tanta certeza, que até merece os agradecimentos e abraços do Tiago Abreu, diga em que se baseia. se for só na conversa do rapaz, deixe que lhe diga que também o enganou. Não é por ele dizer tantas vezes a mesma mentira que passa a ser verdade!

E já agora, em relação à extinção da derrama ou do IMI se formos sérios temos que reconhecer que nenhum país pode viver sem que os seus cidadãos paguem impostos, maiores ou menores. Dizer o contrário e querer acabar com as receitas curtas que as autarquias têm é da maior irresponsabilidade, que só assiste a um Tiago Abreu.

Search