edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 26.8.08
Etiquetas:


Recentemente o jornal de Badajoz, Hoy, destacava o facto de os municípios portugueses da recém criada associação ExtremAlentejo terem solicitado à Junta de Extremadura que amplie os acordos que esta tem com o Estado luso em materia de saúde para que as crianças da raia possam, para além de nascer, terem também direito a consultas de pediatria, principalmente nas áreas de cirugia e otorrinolaringologia.
Segundo o mesmo jornal, o acordo entre o Servicio Extremeño de Sanidad e o Governo da Nação prevê que para além da maternidade outras áreas sejam contempladas, nomeadamente a cirugia pediatrica e a hemodinâmica, alargando-se também a radioterapia e obviamente aos serviços de emergência médica para evitar o transporte de doentes graves para os hospitais centrais lisboetas.

2 comentários:

Três horas da manhã disse...

Obviamente eu preferiria ter estes serviços em Portugal, mas também prefiro fazer uma dúzia de quilómetros em vez de umas centenas.

São importantes estes acordos, espero é que sejam bem feitos.

Eu prefiro qualidade! Se de facto for bem atendido em Espanha, acho bastante bem que estes acordos sigam em frente. Porém, nem tudo me parece serem rosas!

António Tomás Pires disse...

Venham todos os acordos que são bem-vindos, já que elvas foi esquecida pelo poder central.

A atracção espanhola é cada vez maior, como maior é o sentimente de rejeição em relação aos burocratas asfixiadores lisboetas, que ao mesmo tempo que tiram a elvas o que lhe pertence,
ASFIXIAM EMPRESAS E CIDADÃOS COM UMA CADA VEZ MAIOR PESO DO ESTADO!

Mas sejamos honestos, acordos não são eurocidade!

Ò rondão, faz lá (como o teus colegas)um acordozinho para irmos ao médico a Cuba!

Search