edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 14.1.08
Etiquetas: ,

No dia da Comemoração da Batalha das Linhas de Elvas o Regedor proclama definitivamente que a realidade é outra da vivida em 1649, e que Elvas é uma Cidade Moderna e Europeia ao encarar o futuro olhos nos olhos com Badajoz.


"A Câmara de Elvas vai criar um jardim-de-infância destinado a acolher filhos dos casais espanhóis que nos últimos dois anos optaram por comprar casa e fixar residência naquela cidade alentejana. O projecto dirige-se a crianças até aos três anos e preconiza a colocação na creche de educadores portugueses e espanhóis, para evitar que os pais tenham que se deslocar diariamente a Badajoz (20 quilómetros) para colocar os filhos na escola espanhola.


O anúncio foi feito ao DN pelo presidente da autarquia, que terça- -feira se reúne com um empresário de Badajoz interessado em apostar no jardim-de-infância, que poderá ser edificado com recurso a capitais mistos. "Vamos estudar a melhor forma de concretizar esta escola", revelou o autarca Rondão de Almeida, para quem este projecto é "irreversível", dado o número de casais espanhóis que já solicitaram a obra.


A autarquia, disse, tem que criar condições "para que as pessoas possam passar aqui grande parte do seu tempo". "Bem basta já não termos condições para lhes dar trabalho e terem de ir trabalhar para Badajoz", lamentou. "A câmara tem terrenos, de dois a três mil metros quadrados, em vários bairros destinados à construção de equipamentos públicos, pelo que vai ser fácil começar já a fazer o projecto", garantiu. A ideia é criar um estabelecimento com uma ala espanhola e outra portuguesa.


Nos próximos meses a autarquia vai fazer o levantamento do número de crianças espanholas com menos de três anos que vivem em Elvas. Devido ao facto de nos últimos dois anos se ter registado uma subida drástica dos preços das casas em Badajoz, cerca de 200 casais decidiram mudar-se Elvas, onde fixaram residência."


Roberto Dores in Diário de Notícias.

2 comentários:

Jose Ferreira disse...

E muitos mais espanhóis se fixariam se se urbanizasse o Caia.

Mas os interesses particulares do Rondão prevaleceram e reclassificou-se a zona das Sochinhas, com as futuras casas entaladas entre o nó da auto-estrada e a estrada nacional.

Viva o Rondão, viva o Partido Socialista!

Rosamaria disse...

É bom ver a cidade em crscimento com pessoas felizes.

Search