edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 11.1.08



Num primeiro anúncio a Comissão Técnico-científica da candidatura das Fortificações de Elvas a Património Mundial, apontaram o final de 2007 para apresentação do dossier. Já no final do mesmo foi a vez da vereadora responsável vir a público alterar esta conclusão e apresentação pública para a Primavera de 2008, e manifestar publicamente a sua incredibilidade no sucesso da mesma.

Nos últimos anos a UNESCO tem vindo a restringir a classificação de sítios patrimoniais, em especial no espaço europeu, dando preferência a outras latitudes e a outro tipo de "patrimónios". A possibilidade da inclusão da candidatura das Fortificações Elvenses numa rede transfronteiriça, englobando locais dos dois lados da fronteira, parece neste momento o melhor caminho para atingir este objectivo.
Esta rede, que já consta na lista identificativa de Espanha, não existe em Portugal enquanto propósito do Governo da Nação, nem constitui ainda uma associação de municípios com esse objectivo nem do lado luso nem do lado espanhol. Assim, a apresentação da candidatura Elvense à UNESCO por parte do Governo Central não deverá ser realizada enquanto não for listada a Rede Portuguesa de Fortificações Abaluartadas. Elvas deverá ser a cabeça dessa rede internacional devendo desde já sensibilizar os municípios portugueses que poderão englobar esta rede, constituir uma associação para esse propósito, incentivar a realização dos mesmos passos do lado espanhol.
Se não for este o caminho a seguir uma apresentação solitária, na qual nem os mais altos representantes da candidatura acreditam poderá ser uma machadada na intenção do Palácio em concretizar este objectivo.

1 comentários:

Templo do Giraldo disse...

http://templodogiraldo.blogspot.com/

passem e comentem

Search