edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 12.12.07



O Regedor apelou nos últimos dias aos responsáveis políticos do distrito de Portalegre para que “encontrem uma estratégia comum” em relação aos projectos estruturantes para a região, como a ligação entre a A6 e a A23.

Estas declarações surjem depois que o autarca de Estremoz, José Alberto Fateixa, ter declarado que o lógico seria que a nova ligação entre a A6 e a A23 fosse a partir de Estremoz: “deve ter o seu ponto de encontro em Estremoz, conforme está determinado pelo Governo, por ser a ligação mais directa".

Em declarações à agência Lusa, o Regedor, declarou, ao igual que o autarca de Portalegre, Mata Cáceres, que esta ligação seja feita directamente a Elvas: “Portalegre e Estremoz já estão ligadas pelo Itinerário Principal (IP) 2, por isso, não faz sentido a ligação da A23 à A6 através de Estremoz" (...) "A ligação da A23 a Elvas é que tem lógica, uma vez que vai ser aqui criada uma plataforma logística", sustentou.

Já anteriormente, e conforme aqui reproduzimos no blogue, o responsável máximo pela autarquia portalegrense tinha defendido este traçado unindo as duas maiores localidades do distrito, como forma de permitir um melhor acesso à plataforma logística prevista para o Caia.

O Regedor aproveitou o diferendo para apelar aos representantes das forças partidárias do distrito de Portalegre para que "encontrem uma estratégia política comum” em relação aos projectos estruturantes para região. "Ou os representantes máximos dos partidos no distrito de Portalegre têm uma estratégia comum, em relação aos projectos estruturantes, ou são comidos e integrados no distrito de Évora", avisou.

"Évora já possui o estatuto de capital do Alentejo e agora surge Estremoz, que quer ser a segunda centralidade do Alentejo. Se o distrito de Portalegre não estiver atento a esta situação, os responsáveis políticos são comidos pelos de Évora", declarou.

Na opinião de Rondão de Almeida, “se as forças politicas de Portalegre não estiverem atentas, Évora consegue ligar a A23 à A6 por Estremoz, pois o peso político dos eborenses é superior”.

2 comentários:

Dualidades disse...

O futuro da cidade que se anunciava tão próspero e risonho parece não ter grandes perspectivas.
Enquanto os espanhóis tomam para si a responsabilidade de criar a plataforma logística, como as reais mais valias que isso acarreta, os portuguesinhos discutem se o melhor traçado Portalegre / Elvas.
É por essas e por outras que Badajoz está pujante e Elvas permanece fechada dentro das suas muralhas seiscentistas!
É de lamentar, caro conselheiro!
Abraço
dualidades np

PB disse...

Não creio. Defendo a mesma posição do nosso regedor. Só faz sentido por aqui a ligação entre as A´s 23 e 6. Não estamos tão fechados como acreditamos. O que acontece é que não temos vontade de trabalhar.

Search