edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 12.4.07
Etiquetas: ,

Há dias atrás o Conselheiro Zé de Mello tropeçou em dois blogues e um casal. Quer ele quer ela têm os seus blogues pessoais e neles refletem os seus pensamentos e opiniões.
Ela - http://oconsultoriodamaria.blogspot.com/index.html
Ele - http://www.eskisitorules.blogspot.com/
Porque depois de os visitar, ele escreveu sob o título: Dizer ao Zé de Mello que..., em que faz o seu retrato da Cidade, e, porque é bom um olhar exterior ao burgo transcrevo-o, com a devida vénia:
"
Dizer ao Zé de Mello que...

Para os residentes na cidade de Elvas, este título parece bastante familiar. Para o senhor que me deixou um comentário ao último post, ainda mais familiar será.
Em resposta ao desafio lançado, não, Elvas não se resume ao famigerado borrego. Elvas é uma cidade internacional, prova disso a quantidade de vezes em que sou atendido em espanhol no comércio tradicional local. Elvas é terra de gente rija, verdadeiramente orgulhosa nas suas origens. A questão é saber se essas origens são portuguesas ou espanholas.

O Sr. Rondão de Almeida, esse grande inaugurador de placas e monumentos ao seu ego, tem feito por essa cidade algo que ela merecia. Deu-lhe nova cara com as suas dezenas de rotundas, o estacionamento da Sé, obra-prima da engenharia, construiu um estádio e complexo desportivo para albergar esse grande clube, com uma grande história. Aliás, foi no Elvas C.A.D. onde o Sr. Rondão se introduziu ao povo da terra. E, o mais importante monumento que o seu ego construiu foi o maravilhoso Coliseu de Elvas (que como sabemos não se chama exactamente assim, mas pronto).

Quando vim pela primeira vez a Elvas, admito que o impacto de ver o aqueduto a aproximar-se, enquanto fazia a estrada do Vedor, foi algo de indescritível. Depois, na minha primeira visita (com a melhor guia possível, a minha mulher) descobri uma cidade cheia de encantos e beleza. Desde o castelo, aos bairros judeus, ao Cemitério dos Ingleses (o meu espaço favorito em Elvas), passando pela Sé e pela sua praça, toda a cidade transpira um encanto que nos faz apaixonar por ela.

Mas, em Elvas, tal como em qualquer cidade, são as pessoas que fazem o modus vivendi da terra. E, é nas pessoas que eu torço o nariz. Não querendo voltar a tocar na questão da dupla nacionalidade (não nego que tem as suas vantagens, desde o comércio espanhol, até ao facto de terem mais 5 ou 6 canais televisivos, o que apresenta um boa alternativa aos 4 portugueses), tal como todos nós, os Elvenses tem as virtudes e os seus defeitos. Como é uma pequena cidade de interior, torna-se numa aldeia grande, onde todos conhecem todos e todos sabem tudo sobre todos. Isso faz-me uma certa alergia. Feitios…Sinceramente, tal como já disse muitas vezes à minha esposa, gostava de poder viver a minha vida em Elvas. Conseguia fechar os meus ouvidos à lengalenga nasalada que ouço à minha volta, e ignorar a questão de todos quererem saber quem sou. Vive-se bem em Elvas. Não há crime (em comparação a Santarém), existem espaços maravilhosos para visitar todos os dias, e os preços das casas são bastante acessíveis em relação ao resto do país. Temos Espanha ao lado (novamente fecho os ouvidos) pelas compras e pela gasolina.

Acabo este post sem saber se disse bem ou mal da terra. Eu limitei-me a ser realista, e toquei nos bons e maus pontos da cidade. E, peço desculpa a Elvas por lhe ter roubado uma das mais belas e inteligentes habitantes da mesma.

Seja diferente, visite Elvas. (já agora, que raio de slogan é este???)"

5 comentários:

pafuncio disse...

Nada como ser observados com minucia por Gente de fora para dar conosco a pensar não é que tem razão no que disse de bem de Elvas mas também do que disse "mal".
Até o nossos habitos foram bem observados.
Resta agradecer o modo simples e ao mesmo tempo profundo como falou de Elvas e dos Elvenses, seja benvindo.

Anónimo disse...

Eu sou elvense e digo-o claramente: a maioria dos elvenses são provincianos, maldizentes, deprimidos, frustrados e ultraconservadores. Um exemplo? Instalada a TV Cabo já ouvi dizer a muitos "era o que faltava agora ir tirar as antenas!" quando a retirada desta é para mim a melhor iniciativa que surgiu nos ultimos tempos nesta cidade. Se quiserem outro exemplo podemos dizer que os comerciantes e empresários nem se conseguem unir numa associação quando a cidade e sobretudo eles ganhariam com isso. Assim está tudo dito..

Para sempre, Maria disse...

OBRIGADA!!!!

É uma honra ser referenciada no seu blog!

Eskisito disse...

Caro Zé de Mello:
Devo dizer-lhe que ser agraciado com tal honra ao fim de dois meses de bloguices é, sem dúvida, algo que não esperava. Agradeço-lhe a publicidade aos nosso blogs, dando-nos alento para continuar.
No entanto, para uma total justiça na afixação de posts sobre Elvas, pelo casal, deixo aqui um link para uma situação que nos aconteceu ainda na tal visita a Elvas (livre de borrego): http://oconsultoriodamaria.blogspot.com/2007/04/ainda-sobre-ida-elvas.html
Novamente o meu obrigado, e acabei de ficar fã da qualidade de escrita destes posts. He he he.

Anónimo disse...

Subscrevo integralmente o comentário postado em 12 de Abril de 2007 16.45.
Felizmente ainda por cá existem pessoas de mentes minimamente lucidas.
É a opinião do Senhor Jerónimo.

Search