edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 12.10.06
Etiquetas: ,

Como se pode observar nesta imagem, o Jardim da Paz, situado na Avenida de Badajoz, "grita" por auxilio. Para além da destruição do monumento o espaço encontra-se abandonado e a precisar de ser reformulado por um bom arquitecto paisagista que devolva a este local a dignidade que já teve em tempos.

11 comentários:

Xanu disse...

Esse jardim fica na Av. de Badajoz?? Em que sítio??? Ai...que já não conheço Elvas!!!!!!!

LADY disse...

Xanu vou dizer-te fica junto ao Estabelecimento Prisional , mesmo em freente ao Hospital de Santa Luzia, e dá acesso ao Bairro de São Pedro.Ainda mais, junto ao G.A.T. Gabinete de Apoio Técnico.
Zé de Mello tem toda a razão, é mesmo um cidadão atento, ao que se passa no nosso burgo. É estranho como o regedor, não repara pois até fica no caminho da sua residência.

A José disse...

Voces têm razão, mas a solução é simples. Basta darem a idéia de se atribuir o nome do Regedor ao jardim e ai teremos um dos mais lindos de Portugal e da Europa (até para fazer ver aos espanhóis uqe o regedor olha para Badajoz, enquanto se delicia nos passeios no jardim e se inspira para novas obras com o seu nome). Vão ver, o jardim será a porta de abertura para a entrada no céu do nosso glorioso regedor. E ele merece, verdade? Temos é que lhe dizer que quando efectuar o discurso de inauguração não se pode enganar no nome dos deuses, nem tirar cera dos ouvidos.

LADY disse...

Conselheiro a jose tens toda a razão é uma questão dos seus "bufos" lhe sopraram aos ouvidos, e então fica descansado que o Jardim será totalmente recuperado. E ainda mais com direito a placa e tudo...claro está

pata negra disse...

Eu só queria saber se o JARDIM DA PAZ tem alguma placa com o nome de quem o inaugurou?!!!!!

a josé disse...

Será que o abandono se deve ao facto de o mesmo ter sido inauguarado no tempo do Carpinteiro ?! O nosso Regedor ainda deve sonhar com o senhor ... É por isso que tudo o que venha dessa época, sendo do tempo dos inimigos dos deuses, deve ser enterrado no tempo do esquecimento. Era altura de o nosso Regedor começar a pensar que também ele terá que se retirar (ainda que tenha que ser ajudado nessa nobre tarefa) e nessa altura o que irá acontecer aos monumentos com o seu nome, se o novo Regedor tiver o mesmo comportamento que ele?
Bom, estamos para aqui a criar dúvidas no espírito do senhor nosso Regedor, que se ele as interiorizar vai começar a ter insónias.Fica acordado a pensar em todos os monumentos e placas com o seu nome e no que lhe poderá acontecer.
Acreditem, é de ter pena! Depois de tanto esforço, pensar que lhe podem tirar o nome nos monumentos é desolador. E pode acontecer! Lembram-se do que aconteceu com a ponte do Salazar?
Bom, deixem o Regedor dormir descansado por mais uns meses, até perto do fim do mandato, que por certo será o seu último.

rosamaria disse...

Boa gostei dessa observação da ponte de Salazar...não é que eu tenha saudades mas também o tempo não foi assim tanto para ter saudades né? estamos a viver os mesmos tempos numa outra dimenção mais global,mas na mesma porcaria desse mesmo tampo, só as moscas é que mudaram mas só algumas ...só algumas...

rosamaria disse...

Esqueci do jardim...com as saudades do dia da liberdade que não cheguei a viver no mau pais.
O jardim...
Sim tambem sou a favor da placa com o nome Sr.e ver aquele jardim arrajando e limpo porque o Bairro de S. Pedro mais conhecido pelo bairro dos ciganos, merece um pouco mais de diginidade, atenção e limpeza...
Já agora mudem o nome da Cidade...

André Silva disse...

Não me escondo por dentro de pseudónimos, não tenho medo de assinar com o meu nome, mas há uma coisa que aqui tenho que defender, ou melhor duas. Em primeiro lugar o tal jardim: sou morador no bairro de S. Pedro e o facto é que para quem anda a pé (o que não é o meu caso) e faz o trajecto daquele bairro para o centro histórico se depara com aquele espaço algo degradado e sem qualidade, apesar de já ter tido, por exemplo, uns "baloiçozecos" mas alguém os destruiu. E quem os colocou? Errado, foi Rondão Almeida e não João Carpinteiro.
Por outro lado, e em segundo lugar, porque é que tudo e todos criticam Rondão Almeida sem razão, neste caso? Ah, é verdade, todos estes criticos queriam a rua da Cadeia com carros no lugar daquela zona arelvada e da cascata, queriam os semáforos no lugar das rotundas na avenida de badajoz, queriam os campos de futebol pelados para se entreterem a curar as feridas dos filhos que lá praticavam desporto, queriam meter o carro em cima do tabuleiro da Praça da República, queriam fazer compras à chuva no mercado diário, queriam circular num grande centro comercial ao ar livre (rua de Alcamim) por entre os carros!
São tantas as obras do género que me perco com facilidade.
Uma coisa é certa, o jardim necessita arranjo, mas será que depois de duas vezes pela mão de Rondão Almeida ter sido arranjado, há vontade de uma terceira para o ver destruido?
Nada devo a Rondão Almeida, mas fica uma última nota: as placas não importam a Rondão Almeida, a obra está à vista!

Anónimo disse...

BALUARTE - Bravo andré silva. Gosto da sua coragem. Só lhe tenho é de dar oa parabens. É comevodora. Não tenho palavras. Foi das melhores intervenções que li nos últimos tempos.
Mas não acredite. Não acredite mesmo.....
Não se confunda com tanta obra....
Gostava que o andré não ficasse tão deslumbrado. Porque acredito que não deve ser bom viver junto a um hospital que esta a caminho de sewr desclassificado a centro de saúde. Não acredito que esteja feliz ao saber que a escassos metros do lugar onde vive está prestes a fechar um dos simbolos de qualidade de Elvas a Pousada de Santa Luzia. Não acredito que esteja feliz quando a escassos metros do lugar onde reside está um geto de população cigana, que intimida a população que reside nos bairros circundantes, as crianças que vão às escolas dessa área, sem realmente a culpa ser totalmente dessa etnia mas quem os marginalizou socialmente aos concentrar num único espaço. Não credito que o andré esteja feliz por saber que as muralhas que estão muito perto do seu bairro se degradam a passos largos, e com elas um património único em toda a Europa, espero que passei, como eu o fiz no sábado por essas nuralhas e não fique com o coração apertado como eu um elvense ou maniaco fiquei.
Espero que o andré não se sinta tão feliz ao saber que um amigo, um familiar ou uma pessoa próxima tenha de sair de Elvas à procura de uma vida digna que a cidade que o viu nascer não lhe oferece com muita pena dele.
Portanto como vê não dou o meu nome, mas também não venho a valorizar a obra do regedor, que é válida, mas que apresenta gravissimas lacunas, que comprometem o desenvolvimento futuro de Elvas e portanto de todos nós.

A Verdade contra o Mundo disse...

Amigo Andre
O vc é jovem e por isso ainda avalia mal (ainfda que com boa vontade) as situaçoes ou vc é já uma pessoa adulta e peca por incapacidade de aprofundar a critica.
ë certo que a cidade e arredores está mais arrumada. Existem obras, muitas e tudo aquilo que vc desejar e quiser contudo, prevalece a avaliaçao seguinte que é minha e de muitos outros bloguistas: para que serve ou serviu tudo isso? Vc ºacha que a cidade está mais dinamica, mais evoluida mais europeia)? que as pessoas estao mais alegres, mais confiantes etc e tal? È claro que nao. As obras pouco ajudaram e tudo, mesmo tudo com excepçao dos arredores do regedor, estao rigorosamewnte na mesma.
Cumprimentos

Search