edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 19.7.06
Etiquetas:

Com o encerramento do RI8 é-nos anunciado com pompa e circunstância que aquele espaço será transformado em Museu Militar. Da parte do Palácio do Regedor fala-se em Museu Militar Nacional (?!!) enquanto o Exército apenas se refere a este como Museu Militar.
Segundo aquilo que este Velho Conselheiro pode apurar o Exército dispõe de dois Museus Militares, em Lisboa e Porto, sendo que o Museu Militar de Elvas, sito no Forte de Sta. Luzia está dependente do de Lisboa. Para além destes encontramos ainda em Portugal outros Museus Militares em Buçaco, Bragança e Aljubarrota com várias tutelaridades.
No que diz respeito a Museus Nacionais estes estão sobre a tutela do Ministério da Cultura da Nação (exemplos: Museu Nacional de Arte Antiga, Museu Nacional do Azulejo, Museu Nacional do Teatro, Museu Nacional de Soares dos Reis, etc...), constituindo uma Rede Portuguesa de Museus aos quais se juntam outros Museus Municipais, Regionais e Particulares. Note-se que após um perído de não aceitação de candidaturas a integrar a dita rede, para a devida definição estratégica e legislativa, está novamente aberta a novas adesões.
Sabe-se que neste momento tudo aponta a que o Exército ali venha a instalar um primeiro (?) pólo dedicado à Guerra do Ultramar, e com inauguração prevista para 14 de Janeiro de 2008, abrindo assim o Museu Militar de Elvas.
Ora exposto isto tem este Velho Conselheiro várias dúvidas:
  1. Porque é que nenhum dos Museus Municipais integra a Rede Portuguesa de Museus?
  2. Porque não promove o Palácio do Regedor um acordo tripartido com o Ministério da Defesa Nacional e o Ministério da Cultura da Nação para verdadeiramente transformar o futuro Museu Militar em Museu Nacional?
  3. Que futuro se prepara ao Museu Militar do Forte de Sta. Luzia?

5 comentários:

rosamaria disse...

Bom regresso de ferias e a ver pelas mudansas,perece que foram boas,parabens.
Quento às dúvidas que o incomoda Sr. Zédemello,penso que não devem incomodar a muita gente.
São poucos os que nesta cidade tem pensamentos...está calor e cansa...E que importa lá isso??
O regedor do palacio está calado então tudo fica caladinho...

Anónimo disse...

Em primeiro lugar uma explicaçao: Ao escolher a verdade contra o mundo como nome, estou baseando-me numa falácia já que se um dia porventura eu possuisse a verdade das coisas , das duas uma: ou morria de infelicidade ou, simplesmente, alguém terminaria comigo. DE facto, alçar-se uma pessoa com a verdade é, em certas ocasioes, coisa delicada ou nao fosse verdade que quanto mais se toca na dialética mais uma pessoa se afunda tao traiçoeiras podem ser as palavras e as ideias por elas formadas. Vejam os hemoiciclos da polítiva e aí está o que dizia...
Posto isto vamos à minha opiniao sobre as coisas que nesta rentré o Ze de Mello nos oferece: a dinamizaçao da cidade de Elvas.
¿Que dizer sobre o assunto?
Conheci Elvas há já muitos anos e dela fi-la minha cidade para sempre. Foi ficando uma mocinha mais bonita, talvez um pouco mais atrevida, mas nao passou disso mesmo: mocinha e atrevida por via de quem a educou nos ultimos anos e, mais concretamente, de quem a governou quando a disponibilidade de dinheiros originou a baderna do cimento, dos aldeamentos de arquitectura e funcionalidade duvidosa,das rotundas etc e, por via de regra, de algibeiras cheias de uns poucos. Falo mentira?
Elvas quis, como ainda quer, ser tudo (curiosamente poderia ser alguma coisa ainda que nao tudo)esquecendo que o tempo escasseia, que o dinheiro é pouco e que o dinamismo difere segundo e conforme as gentes, as oportunidades e mais do que isso os interesses.
Vejo, apesar das noticias sobre o nosso burgo que o que encerra é potencialmente superior ao que se quer implementar pelo que o balanço é francamente negativo. Elvas, devemos todos reconhecê-lo, nao é atractiva para os jovens pois nada, a nao ser Badajoz, tem para oferecer. A mocinha está linda (mais arrumada) mas o atrevimento nao chega para colmatar carencias. Elvas será uma cidade de passagem (com museus e outras coisas que ver, é certo), arrebitará um pouco com a plataforma (caso o valor das rendas de casa se possam comparar com Badajoz!!!!!)mas irremediavelmente será de passagem. De pasagem até para uns poucoa alunos que tal como seus papas, ingenuamente se consideram de nível universitário quando frequentam uma suposta Escola de Ensino Agricola que até oroigina formaturas de enfermagem cavalar e outras idiotices no género. Enquanto se nao acertarem as agulhas pela eficiencia das coisas e nao pelo benefício de alguns, Elvas e com ela todo o nosso país, vai sofrer muito. Sócrates, na sua ultima entrevista na TV, falava de que País? do nosso?
Saúde a todos e rebatam o que digo a ver se aprendemos alguma coisa uns com os outros
Um abraço a todos

A Verdade contra o Mundo disse...

Por algum lapso o texto anterior saiu como anonimo o que nao é verdade. É meu Da verdade contra o Mundo oK?

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
sabino disse...

Parabéns Amigo Zé
Novo visual. A mudança é sempre necessária e bem vinda se fôr para melhor como é, de facto, o caso.
O Museu militar de Elvas existe? Ou não?. Bem, estão lá as letras e vêem-se ao longe. Resta-nos acreditar nas pessoas. Ou acham que já são museus a mais?Ou a tropa fazia mesmo falta à cidade?Não sei! O que é certo é que qualquer dia já ninguém se lembrará que alguma vez Elvas foi uma Cidade Militar e de pergaminhos com relevo na história da Independência Nacional.Iremos ao museu mostrar aos nossos netos as recordações que nós encontramos do passado. E vocês o que fizeram? Perguntarão!Diremos que não nos deram a oportunidade de mostrar a nossa raça porque fecharam-se as portas.
Helder Sabino

Search