edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 24.7.06
Etiquetas:


Não há locutor / animador!

Não há informação!

Que se passa na Renascença Elvas?

30 comentários:

moi disse...

São com certeza as dificuldades de encontrar técnicos da área para trabalhar no interior.
Todos querem ir para as televisões/rádios e jornais nacionais. Tabalham como escrevos e são considerados os estagiários que fazem o que os outros não querem.
No interior acontecem situações como esta. É uma pena.

Força Renascença Elvas, não párem! Prefiro ouvir apenas música do que gramar com os outros tipos.

Anónimo disse...

Talvez não meu caro senhor...

Cada um sabe da sua vida!

moi disse...

Suponho que se refira ao facto das condições de trabalho. Mas quantos não há com recibos verdes?

É o país que temos. Para os lados de Lisboa quantos não quereriam trabalhar nem que fosse a recibos verdes, só para poder dizer que está numa rádio, televisão ou jornal nacional?

Continuo a dizer: é uma pena!

Outros deverão estar a rir às gargalhadas, porque o "apeadeiro" está fechar.

Mas o "trovoadas" não vai deixar. Pelo menos assim espero.

Bem hajam os da Renascença Elvas

rosamaria disse...

Espalhem alegriras...digam coisas bonitas...amai-vos uns aos outros...e não sejam negros tetricos e meditabundos...a vida é uma curta passagem ..um sopro...
Para quê rir do mal que acontece aos outros???
Para quê tanto raiva nas palavras que escrevem?
Reciclem os sentimentos,digam palavras bonitas e elegrem os dias desta Cidade que hainda pode salvar-se...se todos contribuirem para k isso aconteça.
Basta.

rosamaria disse...

Espalhem alegriras...digam coisas bonitas...amai-vos uns aos outros...e não sejam negros tetricos e meditabundos...a vida é uma curta passagem ..um sopro...
Para quê rir do mal que acontece aos outros???
Para quê tanto raiva nas palavras que escrevem?
Reciclem os sentimentos,digam palavras bonitas e elegrem os dias desta Cidade que hainda pode salvar-se...se todos contribuirem para k isso aconteça.
Basta.

rosamaria disse...

Espalhem alegriras...digam coisas bonitas...amai-vos uns aos outros...e não sejam negros tetricos e meditabundos...a vida é uma curta passagem ..um sopro...
Para quê rir do mal que acontece aos outros???
Para quê tanto raiva nas palavras que escrevem?
Reciclem os sentimentos,digam palavras bonitas e elegrem os dias desta Cidade que hainda pode salvar-se...se todos contribuirem para k isso aconteça.
Basta.

rosamaria disse...

Espalhem alegriras...digam coisas bonitas...amai-vos uns aos outros...e não sejam negros tetricos e meditabundos...a vida é uma curta passagem ..um sopro...
Para quê rir do mal que acontece aos outros???
Para quê tanto raiva nas palavras que escrevem?
Reciclem os sentimentos,digam palavras bonitas e elegrem os dias desta Cidade que hainda pode salvar-se...se todos contribuirem para k isso aconteça.
Basta.

Contra invejosos disse...

A inveja é uma coisa muito feia.
Elvas vai a baixo pelas invejas.

Ninguem se devia rir do mal dos outros, até porque quando "se cospe para o ar..."
Eu não o faço (rir) e fica sabendo sr moi que "os outros" também não o fazem.

Agora para quem não durava seis meses, ir já em seis anos é obra!Porque não dão valor às pessoas?

A concorrencia é coisa boa. É pena que só tenhamos um jornal a sério, deviamos ter dois como temos duas rádios. Espero que não feche nenhuma das duas, embora não seja de estranhar porque o futuro de Elvas só nos vai reservando o encerramento disto e daquilo...

picamiolos disse...

question is: Quanto paga a rr elvas ? Mais vale ir lavar pratos pro el cristo.

Fernando Pessa d'Almeida e Castro disse...

Meus senhores, como elvense gostava de dizer que para mim as duas rádios não fazem uma.

A Renascença devia passar a programação de Lisboa. As notícias de cá são uma chachada.

O programa de Lisboa é divertido de manhã, as notícias são muito boas e o desporto é espectacular.

O Bola branca tem 25 anos de grande qualidade.
Desculpem-me a franqueza mas comparam o incomparável? Ouçam o sr Vinagre e a seguir os locutores de Lisboa do Bola Branca... é comparar o Olho de Porco com a capital do país.

Deixem-nos ouvir a Rádio Renascença (a de Lisboa) porque assim temos alguma coisa a sério e não estas coisas de miúdos a brincar aos jornalistas...

Corrector de Bolso disse...

Onde é que eu já vi este filme??? RDP-Rádio Elvas diz-me alguma coisa...

Vamos ver se consigo fazer história neste meu comentário, onde estão:
Susana Chambel (CM-Elvas)
Bianca (CM-Elvas)
Rui Martins (CM-Elvas)
Hugo Meira (Rádio Campo Maior)
Susana Almas (Rádio Campo Maior)
André Silva (Rádio Portalegre)
José Petronilho (Rádio Portalegre)
António Pinto (BBVA)
Paulo Canhão (Empresa Própria)
Cláudio Ramos (SIC)
Aldina Amador
Carmen Dolores
Bruno Plácido
Pedro Gama

A fadiga está a tomar conta de mim, já chega, caso contrário levava aqui o resto da noite!

Tantos nomes que por aquela casa passaram e onde estão todos, pergunto eu? (pelo que constato) Certamente numa vida melhor, porque desde que um tal de supra citado "trovoadas" (bela alcunha!eheheh) conseguiu atirá-los borda fora, mas pelos vistos ainda bem que têm trabalho dado agora por entidades patronais sérias, o pior é que agora lhe fazem falta, não é Sr. Dr. Francisco Galvão?

Pegando de novo nas (no) "trovoadas" fica a moral da história: Depois da tempestade vem a Bonança!

Pedro Gama disse...

Só dizer duas ou três coisas.

Sr. Moi. "Dificuldades em encontrar técnicos da área para trabalhar no interior???". Não me venha com tretas. O que não faltam são técnicos, no interior, que não se importam de trabalhar no interior. Talvez os técnicos já tenham percebido é que, no interior, ninguém quer fazer bom jornalismo. E que não os deixam fazer bom jornalismo. A Comunicação Social do Interior, e do Alentejo em Particular, tresanda a compadrios, simpatias politicas e, pior que tudo, a medo... medo que lhe tirem publicidade se não dissermos isto daquele, se passarmos o som daquele que é oposição.

E talvez nem todos queiram ir para Rádios e Televisões nacionais. Mas talvez, muitos, sintam que a única forma de fazerem algum jornalismo de jeito é indo para ai, por que no interior, particularmente em cidades como Elvas, é dificil fazer jornalismo. Fazemos, muitas vezes, propaganda.

Graças a Deus posso dizer que estou de consciência tranquila quanto ao trabalho desenvolvido em quatro meses. Foi pouco tempo, é certo, mas foi inmtenso e digam o que disserem, fizemos, eu e o Bruno, um muito bom trabalho, contra compradios, contra benesses especiais.

Ao sr. Fernando Pessa d'Almeida e Castro. Desculpe que lhe diga, mas se quer ouvir a emissão da Renascença NAcional basta ir a www.rr.pt, ou, se vive em Portugal, sintonizar a rádio Renascença Nacional, onde quer que seja a qualquer hora do dia. A sua demanda não tem razão de ser e era escusada. Quer ouvir noticias nacionais oiça. Mas há muita gente que gosta de ouvir as locais.

Quanto aos miudos a brincar aos jornalistas. Fica a saber que o miudo de que fala é profissional de jornalismo, infelizmente com carteira suspensa, porque não etsou a trabalhar em nenhum meio de comunicação social. O Alentejo já deu. Mas não admito que diga que estou a brincar aos jornalistas. Nunca estive a brincar. Já aprendi muito desde há nove anos para cá, e gostaria de continuar a aprendser, como sempre vou querer. Mas a formação que tenho não me dá estatuto de "brincalhão". Sou profissional e sei o que estou a faezr, sabendo também que, sempre vou errar e quero ter alguém que me emende os erros, como tinha em Elvas, até certa altura, mas depois, essa pessoa, desapareceu, mudou.

Sr. Corrector de Bolso. Faço o mesmo desejo que o sr. Que depois da tempestade venha a Bonança para a RR Elvas. Nunca desejei mal a sitio nenhum onde estive. Mas para vir a Bonança será necessária uma mudança de mentalidade. Por isso, agora, é convosco.

Pedro Gama disse...

Este texto último é apenas um texto pessoal. Não falo por mais ninguém. Por isso não se estiquem...

Bruno Plácido disse...

Quem me conhece verdadeiramente sabe que não tenho por hábito fazer comentários em Blogs deste género... Limito-me a fazê-lo no meu próprio blog! ...(por várias razões)

Passei, e com muito orgulho, os últimos meses na RR-Elvas. Digam o que disser, mas eu sou aqueles que afirma que «estamos sempre a aprender» e acreditem, ali aprendi muito! Como todos os que por ali passaram...
Parece que efectivamente muita gente já por ali passou. Motivo: Não me cabe a mim analisar!!!

Fique a saber, meu caro “Fernando Pessa D’almeida e Castro” que a RR-Elvas é uma RÁDIO LOCAL!! E jamais uma cópia da RR Lisboa.
Fique a saber que pode muito bem ouvir a sua RR aí na cidade de Elvas... basta para isso sintonizar os 95.3fm.
Agora, “brincar aos jornalistas”???? Ali dentro não se brinca, meu caro senhor!!! Ali dentro trabalha-se!!! Trabalha-se com informação!! Credibilidade! Imparcialidade! INFORMAÇÃO DE CONFIANÇA será para sempre o lema daquele redacção!
E isso afirmo com todo o orgulho do mundo.

Um abraço a todos,

Bruno Plácido

Corrector de Bolso disse...

Caro Pedro Gama no que diz respeito à última frase do meu anterior post quero dizer que depois da tempestade (ou seja quando o "trovoadas" deixar a RR) a Bonança poderá chegar!

Cumprimentos!

Pedro Gama disse...

sr. corrector de bolso. Quanto a isso não me pronuncio. Cabe aos elvenses, agora, dizer de sua mercê. que cidade querem, que comunição social querem... Também é o povo que pode decidir isso. Basta ver o exemplo dos jornais dai. O Linhas de Elvas é o escolhido do povo e por isso é considerado credivel (menos para algumas forças "a"politicas). O despertador, por seu turno, é um jornal que nasceu e vive, mas não traz nada de novo a Elvas.

Espero que todos vençam, apesar de tudo...

Um abraço...

(Foi bom ver-te por aqui Bruno. Vai dando noticias)

anadias disse...

pedro e nuno é pena k tenham que emigrar.
Vcs não serão craques mas porra são jovens com formação e coragem pra poderem fazer jornalismo em elvas.
porra é que as radios tao interditas à expontaneidade, criatividade, livre expressao.
n alinho nessa dos jornalistas imberbes. Há ca gente boa.
assim acabem os caciques politicos assumidos ou nao que controlam as radios.

ouvinte atento disse...

Nunca vi tanta baboseira junta.

1-Sr corrector, na sua lista não reconheço praticamente ninguem com o nível mínimo para falar a um micro; A Renascença não funcionou nunca em condições e nunca funcionará porque os padres em Lisboa (ou Évora) não querem dizer para fechar, nem querem investir, por isso andam aos solavancos; Só há duas empresas de comunicação social em Elvas, com os devidos profissionais, no resto há gente que faz piscates;

2-Não tem de certeza capacidade para chamar trovoadas a alguém que provavelmente já trabalhava em rádio ainda voce saltava do esquerdo para o direito; Ouça em Elvas só há duas pessoas que geriram rádios em Elvas com sucesso(em tempos diferentes). Reconheça ou não o mérito a quem o merece, saiba que só o Dr. Galvão na RDP e o Dr. Góis na Rádio Elvas conseguiram com sucesso gerir rádios na nossa cidade. O resto é paisagem...

3-Sr Gama não lhe ensiram que uma pessoa em certas profissões deve ter mais recato? Desde que chegou a Elvas só se procurou evidenciar em blogues e outras formas de destaque; de tanto se por em bicos de pés perdeu o equilíbrio...

4-Sr Bruno o que é isso de isenção? Se não andaram a brincar aos jornalistas foi isso que deram a entender nas vezes que ouvi a emissão, nas fotos ridiculas que publicavam no blog, nas opiniões que deram, etc..
Imparcialidade? confiança? são grandes palavrões. Uma rádio local é sempre parcial! Se é de Elvas, tem que ver as coisas pelos olhos e interesses de Elvas. Ex: num relato de futebol numa rádio em Elvas só se grita o golo do Elvas. No resto é igual. Ponto final.

5-Dona Ana Dias ou lá quem seja: cacique é a sua prima, a senhora ou senhor não faz ideia do que é criar compromissos, pagar ordenados e seguir em frente? Se calhar quando precisa de alguma coisa pede dinheiro à mamã? Não há gente de jeito em Elvas porque não há mercado para pagar a pessoa de jeito.Ainda assim há profissionais da comunicação social em Elvas. Não podem ser 20? Obviamente NÃO!

anadias disse...

xi o ouvinte atento tresanda a patrao atento ( da rr ).

Anónimo disse...

Não fosse considerar ser uma tremenda injustiça meter no mesmo saco todas essas pessoas acima nomeadas, e seguramente que por aqui não me veriam.
Não participo em lichamentos publicos de pessoas ou instituições feitos por gente que teve cota parte de responsabilidade nas situações.
Não posso no entanto aceitar que se misture uma Aldina,um Bruno ou um Pedro que fizeram efectivamente um muito bom trabalho, com outros que entendiam que a instituição é que tinha que lhes dar alguma coisa mesmo antes de eles fazem algo por ela.
Razões várias fizeram com que se fossem embora; foi pena mas a RR-Elvas seguramente sairá desta situação dificil como em outras ocasiões
Só mais uma coisa: Eu assino o que escrevo pelo que a Srª anterior deverá tratar-se já que está anósmica.
Fiquem bem
F. Galvão

Pedro Gama disse...

Estalando o verniz que também de vez em quando me acontece: Sr. Ouvinte atento. Quanto ao que me é dito e cito: "Sr Gama não lhe ensiram que uma pessoa em certas profissões deve ter mais recato? Desde que chegou a Elvas só se procurou evidenciar em blogues e outras formas de destaque; de tanto se por em bicos de pés perdeu o equilíbrio..."

Primeiro. Se em tempos me poderia acusar de ter "certas profissões, agora não. Sou um simples empregado de balcão, por isso posso dizer o que me der na real gana, sobre quem eu quiser.

Segundo - Apesar disso continuo a dizer o que me dá na real gana, com perfeitra noção dos limites, dentro da boa educação, com parâmetros de moralidade.

Terceiro - Sempre disse e continuo a dizer: Seja jornalista, mas não deixa de ser cidadão. Posso dizer o que quiser na mesma, manifestar a minha opinião, ser interveniente na sociedade como mandam as boas regras de cidadania. Parece-me isso sim, que apenas o incomodo e sempre incomodei porque não limpava as botas ao senhor regedor.

Quarto - Qual é a diferença do Pedro Gama RR Elvas, para o Pedro Gama Emoregado de Balcão em Montemor? Hum!!! Nenhuma. Então o que estou agora a tentar envindenciar para Elvas, cidade à qual não tenho nenhuma ligação, a não ser o afcto de ser uma cidade alentejana e também eu ser alentejano?

Quinto - Sobre o que diz ao Bruno. Deixe-me que lhe diga: 1 - o Blog foi um erro. Um erro meu. Se houve alguma opinião nele registada, foi minha não da RR Elvas. 2 - Aprenda a dividir as águas. E se é um ouvinte atento, então oiça e leia menos. Nunca ouviu uma informação na RR Elvas Versão Pedro Gama/Bruno Plácido/Cármen Rato/ António Vinagre que não fosse o mais isenta possível. Se ouviu, por favor, diga qual. 3 - Talvez tenhamos tocado, isso sim nas feridas. MAs isso não contradiz a isenção. Podemos ser "despertadores" sem por em causa a isenção, a imparcialidade. E a treta que diz de se ser parcial numa rádio local: tem razão. Mas apenas no facto de que devemos ser parciais quanto à localidade e região em que nos inserimos. Por que nos conflitos internos dessa localidade ou região não podemos, nem devemos "puxar a brasa à sardinha de ninguém". Ao contrário de certos comentários que vão aparecendo neste blog que só não vão assinados, porque de resto todos nós sabemos e sempre soubemos de onde vêm. E talvez, senhores da Câmara Municipal, fosse hora de sairem da concha e admitirem que são uns incompententes, matreiros, é certo, mas incompetentes.

Por fim, Sr. Ouvinte Atento. Diga lá quais são os dois órgãos de comunicação de qualidade de Elvas??? Se se refere ao Linhas de Elvas, concordo. Mas não pela imparcialidade, porque isso também não é muito. Se me disser a Rádio Elvas (e acho que é esse o segundo de que está a falar), então deixe-me que lhe diga. Para quem fez uma dissertação sobre isenção ali mais acima o senhor mudou muito a sua agulha para defender a Rádio Elvas, neste momento. Não pelos profissionais que lá há a faezr jornalismo (João, Sónia e Ana, aqui vai o meu tirar de chapéu ao vosso esforço fantástico e excelente trabalho). Não se deixem enganar. O problema não está nos profissionais, de facto. Está em quem dá as directrizes e o dinheiro à rádio Elvas. E talvez deva dizer isto agora, para se acbaar com as merdas: Talvez fosse hora de saber até que ponto vai a isenção da direcção dessa rádio. Se não fosse ser expressivo demais a Rádio Elvas chamar-se-ia Rádio Câmara ou Rádio Pink.

Por isso, o sr. Ouvinte atento, parece andar muito desatento e talvez lhe interesse que a Rádio Elvas saia salvaguardada desta história. Mas se há flata de isenção em Elvas é nessa mesma Rádio. Não por culpa de quem dá o coiro a trabalhar, que, acredito, bem gostariam de poder fazer melhor jornalismo do que aquele que lhes mandam fazer. Por culpa (ou vontade e interesse) de quem manda.

Pensem...

Eu estou farto de o fazer por vós, porra!!!

Dr. Galvão, um abraço deste rapaz que aprendeu algumas coisas bem importantes consigo...

Corrector de Bolso disse...

Caro ouvinte atento, apenas lhe deixo uma sugestão: já que não conhece tais profissionais porque não ousa ouvir (ou ver) o trabalho que eles fazem nos seus actuais locais de trabalho!?

Estão todos a trabalhar na comunicação social e bem pagos, não garanto, mas acredito!

E mais, quando o senhor diz: "Não tem de certeza capacidade para chamar trovoadas a alguém que provavelmente já trabalhava em rádio ainda voce saltava do esquerdo para o direito", aqui lhe respondo: tenho idade para ter juízo, e pelos vistos mais que o senhor.

Dr. Francisco Galvão então porque a injustiça dos outros profissionais que passaram por essa casa? Cada um deles fez mais do que Aldinas, Brunos e Pedros, que reconheço terem feito um bom trabalho, como diz! Mas quando Susanas, Petronilhos e Biancas, por exemplo porque há mais, pairavam por aí essa sua rádio tinha ouvintes, mesmo com a musica pimba da Bianca!

Cumprimentos e reconheça os seus erros...

Anónimo disse...

Gama(ram)-me uns minutos do meu tempo.
Estou contente porque:
estás triste,
porque te foste embora,
vai escrever para a tua terra, desaparece enano.
Espero que o comboio te colha em cheio e os teus bocados sejam apanhados com uma vassoura e uma pá!

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
picamiolos disse...

parabens ze de melo pela pertinencia do tema. Pedrada no charco dos intocaveis.
deixa chamar nomes.
puxa pela cabecinha e traz mais pedradas que mereçam 31 comentarios.

Pedro Gama disse...

Estou triste????? Hum!!!!!!!!!!! Deixa-me pensar!!!! Nã! Estou muito bem, graças a Deus. Não percebo de onde desencantou essa ideia de que estou triste. Mas... obrigado pela preocupação. J´agora parabéns pelo extenso vocabulário que demonstra ter. Demonstra que é alguém com muito para dizer.

Zé de Mello, peço em meu nome, e em nome de muitos que são ofendidos nos comentários acima que sejam retirados deste espaço. Se me puder atender o pedido, agradeço. Não que me incomodem sobremaneira, mas apenas porque cortam a discussão que se estava a manter, já para não falar da linguagem grosseira e do fraco conteúdo que têm.

Um abraço

moi disse...

Caro Zé de Mello, agora precebo quando era obrigado a delete coments, ora faça-me um favor há uns quantos a cima do meu que não merecem ser lidos

o pessoal que participa no sentido critico e contrutivo agradece

Ze de Mello disse...

Caro Zé de Melo

Não queria fazer qualquer comentário sobre a situação da Renascença Elvas mas depois de ver tanta coisa que se escreveu por ali resolvi intervir. Infelizmente não sei porquê não consigo já incluir esse comentário, por essa razão agradeço que o faça por mim.

Tenho acompanhado com grande preocupação a situação que se vive neste momento naquela casa.
Tenho tentado ajudar na medida do possível a ultrapassar a situação.
Pelo que li algumas pessoas estão satisfeitas com a situação e aproveitam para destilar "veneno" contra quem ali trabalha ou trabalhou.
Neste momento o que menos interessa é a razão porque não estão lá determinadas pessoas, o importante é tentar que a Renascença Elvas não seja mais uma porta fechada.
Todos os que por lá passaram desde o seu início, até hoje tiveram um papel importante naquela casa. Até a D. Margarida que faz a limpeza.
Uma rádio é a maior prova de que o trabalho de equipa é fundamental.
Lembro-me do início dessa casa com uma hora diária de emissão, em que quer eu quer o Amândio, a Isabel e todas as pessoas que por ali passaram no início nos empenhamos para que pudesse crescer e ser uma grande rádio ao serviço da população de Elvas.
Não considero que o meu trabalho tenha sido mais importante que o de ninguém, porque cada um de nós fizemos o melhor que sabíamos ou que podíamos.
A minha ligação à Renascença Elvas não terminou no final de Fevereiro de 2000 quando saí e não recomeçou em Maio de 2005 quando regressei. Ela manteve-se de outras formas que não interessa agora referir. Também não terminou quando voltei a sair no final de Fevereiro por razões de saúde de um familiar, e não por ter entrado em litígio com ninguém.
Todos os que passaram por essa casa foram importantes. Foram importantes o José Petronilho, a Susana , a Carmen e todos os que numa determinada altura conseguiram manter a rádio em funcionamento. Porque é disso que se trata. Permitir que a rádio chegue aos ouvintes, se a música é pimba, clássica, ligeira ou pop é talvez o menos importante.
O que realmente importa é o vínculo que se cria entre quem está em casa e todos os dias liga o botão do rádio e quem do outro lado lhe faz companhia. Boa companhia.
Elvas tem uma história a nível de rádio de que se deve orgulhar sempre. Fomos pioneiros. Ainda nem Portugal sonhava com rádios locais, ainda nem se falava de rádios piratas e já Elvas tinha uma rádio local que falava dos seus problemas. A Rádio em Elvas começou a sua história em 1975. São mais de 30 anos e merecem respeito todos aqueles que de uma forma ou de outra ajudaram a fazer essa história.
E se em vez de criticarem o XPTO ou o YQualquer coisa...ajudassem com sugestões válidas? Será que já ninguém consegue fazer isso?
Sim eu sei que isso de trabalhar por amor à camisola já não se usa, mas será que o que conta aqui é realmente quanto se ganha? Tenho 30 anos de rádio e posso dizer que para mim a rádio nunca foi uma forma de ganhar dinheiro...foi sim uma forma de enriquecimento pessoal porque não há nada que substitua o que se sente quando quem está do outro lado nos deixa entrar diariamente em suas casas e nos trata como se fossemos da família.
Quanto a se a RR-Elvas é melhor ou pior , mais ou menos isenta que a Rádio Elvas...para esse peditório não dou, tenho preocupações bem maiores como acredito que têm todos os que esperam ver rapidamente uma solução para a crise que se vive neste momento num orgão de comunicação social que já faz parte da cidade de Elvas.
É disso que todos se devem lembrar em primeiro lugar.
Reerguer e não ajudar a cair o que resta, deve ser a atitude de todos os que gostam de comunicar.

Aldina Amador

TORRE DE ATALAIA disse...

Amigo Zé
Existe alguma possibilidade de nao permitir a entrada neste blog de baixarias? Todos nós somos livres de criticar mas por favor que o façamos pelo menos de forma elegante UNICA E EXCLUSIVA FORMA DE DOMONSTRARTMOS A NOSSA CAPACIDADE INTELECTUAL.
É tao triste ler imbecilidades!

Search