edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 13.6.06
Etiquetas: ,

Éditos antigos que continuam bem actuais:

Segunda-feira, Agosto 22, 2005

JARDIM DOS NOSSOS ESCRITORES



Bem perto do meu pouso secular descobri no outro dia uma verdadeira jóia da memória local.
Estou a falar-vos do denominado Cemitério dos Ingleses, espaço que segundo me foi dado a conhecer pelo seu guardião e cuidador é pertença dos cidadãos subditos de Sua Magestade britânica residentes no concelho.
Desengane-se quem julga que estou a falar dum lugar tenebroso. Este Cemitério é um jardim dedicado a todos os militares que cairam neste episódio bélico da Batalha de Albuera a 16 de Maio de 1811, e que juntou os exercitos espanhóis, portugueses e ingleses, comandados pelo Marechal Beresford frente aos franceses de Guinot.
É um espaço bem recuperado, verdejante, convidando a descansar as pernas nos seus bancos, entre a molduras das canhoneiras seiscentistas, conhecendo assim um pouco da história patria.
Também me foi relatado que estes senhores estrangeiros querem agora recuperar a Capela de S. João, vulgo S. Joãozinho, junto ao cemitério.
Meus caros co-Conselheiros e visitantes deste espaço electrónico, que bofetada de civismo nos deixam estes britânicos! Não devemos nós seguir-lhes o exemplo? Porque esperar que tudo seja feito pela edilidade e pelo governo da pátria?!
Proponho eu que nós juntemos e construamos também nesta zona o Jardim dos Nossos Escritores. Aproveitando a devolução ao usufruto da esplanada abaixo deste cemitério, espaço que foi até pouco tempo um quintal/horta particular e encontra-se agora num estado lastimoso cheio de ervas e abandonado. Localizado detrás da Igreja da Ordem Terceira de S. Francisco, pode ser o local para recordarmos Ramalho Ortigão, António Sardinha, António Thomaz Pires, Franscisco Rasquilha...
O primeiro passo já o tomámos, estamos a discutir a sua realização falta pois projecta-lo e sobretudo construi-lo. Fica aberta a discussão!
P.S. - Ainda existe mais uma esplanada abaixo desta que continua a ser horto particular!

3 comentários:

Anónimo disse...

Pronto,
Está o caldo entornado.
O primeiro bebé já foi.
Morreu ontem o primeiro bebé a caminho do Hospital de Portalegre, numa ambulancia dos bombeiros de Elvas e sem nenhum acompanhamento médico.
ERA ISTO QUE OS ENTENDIDOS QUERIAM?

Valha-nos Deus

Xanu disse...

Vinha comentar este post mas o comentário que aqui encontrei deixou-me arrasada...
Logo no 1º dia???

Anónimo disse...

Pois é Sr. Reitor, passa a vida a elogiar as suas obras e esquece-se daquelas que já existem há muitos anos cá e nem faz nada para as conservar (como é o exemplo do cemitério dos ingleses).

Depois falam em UNESCO… e mete a loira Elsa a tratar do assunto porque já viveu em Évora e tem uma catréfada de cursos universitários… e apesar disso não sabe nada…

Candidatar Elvas à UNESCO com locais em elevado estado de degradação como este... e para não falar do resto é mais um balde de água fria não é?

Eu acredito que saiba que não pode ser como diz, mas assim vai enganando o pessoal. Mas a mim (e mais alguns) não engana. O Reitor sabe que a única coisa que pode entrar para o património da UNESCO são as muralhas, e se entrarem… já viu o estado delas? Porque o centro cidade graças ao BES e agora também ao Parque confusão e a muitas outras abominações existentes não pode entrar.
Não engane os Elvenses...

Search