edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 24.4.06
Etiquetas:

É nesta noite de esperança pela Liberdade que se espera pela população junto à Maternidade Mariana Martins de Elvas para que esta demonstre o seu empenho na continuação deste serviço na cidade.
A convocatória é do Movimento Pró Maternidade. A contra-argumentação é do Palácio do Regedor e do PS que acusam este de ser uma fachada para os partidos políticos na oposição da "extrema esquerda" à "extrema direita".
Aquilo que deveria ser a velada de união dos elvenses em torno dum objectivo maior tornou-se na medição da capacidade dos elvenses serem livres pensadores.

18 comentários:

Xanu disse...

Ou seja...vão lá estar meia dúzia...
Previsível, infelizmente!
Ainda no sábado passado a câmara da Covilhã convocou os seus munícipes para uma manifestação contra o encerramento da sua maternidade...aqui consideram uma vigília uma manobra de fachada da oposição.
Nem vale a pena continuar a falar do tema...não há qq ,por parte de certos sectores, em manter a maternidade a funcionar.
Haverá algo que os elvenses não sabem?

Pedro Gama disse...

Infelizmente acho que há muito que os elvenses não sabem. E parece-me até que perferem não saber. Perferem deixar que pensem por eles.
Gostava de vos convidar a pensar em algo que o senso comum está a perder: as novas gerações não ligam nenhuma à data que amanhã se comemora.Nem sequer têm um bom conceito de liberdade.

Contra o totalitarismo lutaram muitos, muitos morreram.

A Vigilia de hoje, infelizmente, vai ser sinónimo de várias coisas: 1.ª - os elevenses estão-se a borrifar para se a maternidade fecha; 2.º - o Movimento Civico vai descobrir, hoje e dia 1 de Maio, que o PS tem muita força de manipulação dentro desta cidade. O Movimento Civico é, neste momento, visto como uma aberração politica da cidade, que apenas quer destruir o poder e nã lutar por algo; 3.º - e que vem na sequencia do 2.º, os elevenses começam a acreditar, mesmo a sério, que não têm direito à cidadania. E estão a aceitar isso com um sorriso nos lábios, pois acreditam que o PS e a Câmara está a defender os seus interesses.

Já agora para qualquer anónimo que queira contrapor isto, desde já digo, que a censura que o senhor anónimo fez, ganhou adeptos na cidade. Adeptos ligados a partidos. Talvez um dia consigam aquilo que querem: um totalitarismo exacerbado dentro do concelho. Mas nunca se esqueçam: Elvas não é um país, é um pequeno feudo, inserido numa extensão de terra a que se chama Portugal (talvez qualquer dia sejam espanhóis, mas ainda são portugueses). Senhores da politica elvense, em concreto os do centro (PS), já que os outros são a extrema esquerda e a extrema direita: nunca se esq2euçam qeu aquilo que celebram amanhã, é aquilo que estão a tentar retirar todos os dias, aos elvenses, à comunicação social e à oposição. A Liberdade...

Anónimo disse...

Senhor Pedro você escreve muito mal para ser jornalista poças! Perferem!? Elevenses!? ...
Eu continuo a dizer que não deve haver ninguém em Elvas que seja contra a maternidade. Não quero saber a opinião do PS ou do PSD, quero uma maternidade com condições e não como estava e não me admirava nada também que esse movimento fosse controlado pelo PSD, pelo PP e por aqueles que têm interesses monetários na maternidade. Eu só quero que o meu filho nasça cá no fim do ano com condições poças!
Senão vai nascer a Badajoz que por mim é igual desde que haja qualidade, ele vai ser português e elvense!

Helder Sabino (kayno) disse...

Penso que os elvenses quando defendem a maternidade, deixam de ser de extremos, muito menos de direita ou esquerda, mas essencialmente elvenses que querem defender a sua lusa identidade.
helder sabino

Pedro Gama disse...

Bem dito Helder...

Anónimo disse...

muito bem helder.
o problema é que os elvenses infelizmente pensam para dentro. Estão impedidos de pensar por si e muito menos exprimir o seu pensamento alto e bom som. As paredes em Elvas infelizmente têm ouvidos e mais de meiua cidade depenmde daquilo a que aqui chamam de palácio não sei do quê!!!!!!!
eu preferiria chamar-lhe talvez o nosso "muro das lamentações"!
agora, hoje, que está a fazer anos que se deitou abaixo um regime totalitário, é bom não esquecermos que temos um outro entre muros e com o qual infelizmente temos de viver.
é muito triste pensarmos que este totalitarismo "bacoco" pensa que nos deixa em paz quando nos atira com areia (leia-se pavilhão multiusos, parque subterrâneo, campos de erva, etc) para os nossos olhos.
Lamentávelmente os elvenses parece que gostam de ser maltratados.

abaixo o gama que caiu na lama disse...

quando é que este gajo se vai embora? O galvão não o despediu? finge que estás de caganeira e vai-te embora de fininho...

anti-espanhol disse...

granda anormal. ainda não és espanhol seu atrasado mental. há um espanhol que vem aqui cagar postas, mas como todos os espanhois só quer dominar os outros. não foram os espanhois os maiores carniceiros da história? quantos milhões aniquilaram na américa? Os incas e aztecas quase desapareceram da face da terra. O hitler ao pé do Pizarro e companhia era um menino de coro.
marreta ainda queres ser espanhol?
Assassínos e atrasados mentais de onde nem vem bom vento nem bom casamento.abaixo espanha

Pedro Gama disse...

A Vigilia até parece que correu bem, amigo Zé. Não sei se o vi por lá... Tlavez sim. Mas é bom sentir que o Zé anda por aí...

Eram uns poucos que passavam, uns poucos que ficavam... aos poucos e poucos as velas juntaram-se... Esperemos que alguém veja a sua luz...

Marco Sequeira disse...

O comunicado do PS é lamentável.
Já um Elvense não pode defender as Instituições da sua Cidade.
Agora quem defender a Maternidade, está contra Rondão Almeida.
Por aqui se vê o tipo de ditadura que está instalada no Concelho.
Se alguma funcionária da Autarquia estiver grávida, tenha cuidado. É que da maneira que isto está, ainda se arrisca a ter um processo disciplinar se optar por "Dar à Luz" na Maternidade de Elvas.
Se Rondão Almeida diz que a Maternidade deve fechar, então ai daquele(a) que diga o contrário.
Sinceramente,... onde isto chegou. Assim o elegeram, assim o têm. (Se calhar já não está a contar ter mais netos, já não necessita de uma Maternidade em Elvas).
Vou gostar é de ouvir falar aqueles que eram defensores da Maternidade e que agora mudaram de opinião só porque o "Chefe/Patrão/Todo Poderoso" tem opinião contrária.
Não se esqueçam, segundo o comunicado, quem está a favor da Maternidade está contra Rondão Almeida,... e isso tráz consequências.

Elvenses, pensem por vós próprios. Defendam a vossa Terra e as Instituições que ainda restam.

Rondão Almeida e seus lacaios não metem medo a ninguém.

Xanu disse...

Comunicado? Diz isso mesmo??
"...quem está a favor da maternidade está contra Rondão Almeida"...Não posso crer...não pode ser...Rondão Almeida ameaçou demitir-se (eu sei que foi durante a campanha!) se fechassem a maternidade e agora tem esta posição?
Há algo que "nos" esteja a escapar?

Anónimo disse...

Desculpem a minha santa ignorância:
Que comunicado? Onde? Quando? Entregue como e por quem?

eu devo mesmo andar alucinado!!!

Anónimo disse...

Alucindos e a ficar estonteados são o POVO ELVENSE que já nem sabe a quem acreditar no Homem que elegeram para seu presidenta da camara ou se no politico que ele é e defende os intereces dele e demais alguns que estão no governo.
Eu continu-o a chamar-lhe mentiroso e pergunto que fês ela da bandeira que levava na mão chamada Maternidade? Onde está o HOmem que se demitia se a Maternidade acabar?
E pelo que se vê não é só a maternidade que vai à vida a seguir logo a seguir vai muitas mais coisas.
Mas isto é se a maternidade acabar e é se acabar pois muita àgua ainda vai rolar. E estaremos cá para ver.
Uma amiga sempre au dispor e parabens pelo blog.
E pela forma como defende esta terra que daqui a pouco vai sendo de ningum.
Rosamria Abrunheiro

Anónimo disse...

Alucindos e a ficar estonteados são o POVO ELVENSE que já nem sabe a quem acreditar no Homem que elegeram para seu presidenta da camara ou se no politico que ele é e defende os intereces dele e demais alguns que estão no governo.
Eu continu-o a chamar-lhe mentiroso e pergunto que fês ela da bandeira que levava na mão chamada Maternidade? Onde está o HOmem que se demitia se a Maternidade acabar?
E pelo que se vê não é só a maternidade que vai à vida a seguir logo a seguir vai muitas mais coisas.
Mas isto é se a maternidade acabar e é se acabar pois muita àgua ainda vai rolar. E estaremos cá para ver.
Uma amiga sempre au dispor e parabens pelo blog.
E pela forma como defende esta terra que daqui a pouco vai sendo de ningum.
Rosamria Abrunheiro

Anónimo disse...

É bom saber que o Zé anda por aí?
Esperemos que alguém veja a sua Luz?
O Ze de Mello agora é o novo profeta de Elvas, por acaso? Este senhor Pedro da Gama ainda não se enxergou mesmo, do bonito papel a que se presta. Ainda mais engraçado é o facto de a sua identidade patronal achar bem e achar graça ao comportamento de quem se julga o "enfant terrible" da cidade.

Anónimo disse...

Se o Zé anda por ai pessoa anonoma mas cidadã deste pais queria quelaçar-le um dezafio.
Porque não propõe aqui no blog que se privatise então a Maternidade da mesma forma que se pretnde privatisar o cemitério?
É só um pensamento que me ocorreu até parece justo.
Obrigada

Anónimo disse...

Pensar e agir
ou ficar a dormir!
Eis a questão?
Caso contrário é "Rondão"

Anónimo disse...

Mas como se pode privatisar o que já é por naturesa privado ???

JADE

Search