edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 18.11.09


É objetivo da Fundação Batalha de Aljubarrota (FBA), na persecução dos seus objetivos dotar o Sitio dos Murtais, local da Batalha das Linhas de Elvas, de um Centro de Interpretação sobre a batalha.

Ao igual do que já sucede em Batalha, com o Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota, estes espaços são na visão, desta Fundação, espaços de afirmação da nacionalidade Portuguesa.

Assim nos seus intuíto está a abertura ao público dos Centros de Interpretação das Batalhas de Atoleiros (1384), Trancoso (1385), Aljubarrota (1385), Linhas de Elvas (1659), Ameixial (1663) e Montes Claros (1665), promovendo a recuperação paisagística destes lugares históricos, restaurando tanto quanto possível o coberto vegetal e o meio ambiente existente à data da batalha; apresentação do contributo das principais figuras que participaram nestes acontecimentos; fidelização prioritária de públicos escolares, através de uma apresentação rigorosa e completa destes campos de batalha, e dos factos históricos aí ocorridos.
transformação destes campos de batalha em locais de estudo e de investigação relativamente às épocas em que as batalhas ocorreram, tornando-os susceptíveis de serem apreciados por um número crescente de visitantes; realização de espectáculos que envolvam a reconstituição histórica destas batalhas, com um elevado nível de qualidade e rigor quanto ao armamento utilizado e à forma como as batalhas se verificaram; realização de conferências sobre a História de Portugal, com particular ênfase nos dois períodos históricos referidos; intercâmbio cultural e científico com outras instituições internacionais dedicadas ao estudo e investigação de batalhas medievais e de batalhas ocorridas no século XVII; reforço da relação existente com o Estado Português e com instituições de carácter cultural e científico.

Esta Fundação conta já com um grupo de mecenas que fazem possível as atividades de educação e divulgação destes espaços historicos, e que são já um ponto obrigatório de visita no Centro de Portugal.

Não existem previsões cronológicas para a expansão desta rede ao nosso Concelho, mas é desejável que o Palácio do Regedor empreenda contatos, se ainda não o fez, para num futuro a medio prazo existam actividades semelhantes no Sitio dos Murtais.

3 comentários:

(:0) disse...

Uma iniciativa muito boa.

Enquanto se mantiverem ocupados com os Murtais, pode ser que se esqueçam de fazer asneiras e suprimir estacionamento no Centro Histórico.

Justiceiro Implacável disse...

Eu acho que o Sítio dos Murtais pode ser um bom atractivo turístico principalmente quando lá estiver construído o loteamento que o Manuel António lá tem aprovado à volta do Padrão. Assim os turistas vão comprar casa com vista para a capela e para o resto.

Ze de Mello disse...

Caro Justiceiro,

Segundo creio tal projeto foi reprovado pelo Regedor, preservando assim o espaço histórico da batalha.

Search