edição:Velho Conselheiro Ze de Mello a 26.9.05
Etiquetas:


Agora que os Pendões já regressaram à cidade está na altura de fazer um balanço de como decorreram as Festas da Cidade / Expo S. Mateus / Romaria do Senhor Jesus da Piedade / Feira de S. Mateus.
Na minha humilde opinião claro está!
Dia 20 de Setembro é o dia mágico dos elvenses, o dia em que todos saiem à rua para participar ou assistir ao passo da Procissão dos Pendões, o dia que faz com que amigos de longa data se reencontrem, que as famílias recebem os emigrantes e que todos rumem até ao Parque da Piedade pagando os pedidos efectuados ao patrono da Festa.
Quanto à Feira de S. Mateus que se ilumina com a chegado dos Pendões, ao som dos sinos a rebate e dos foguetes explodindo no ar, esta já encontrou a sua velocidade de cruzeiro, e todos já sabemos onde encontrar o que procuramos nos vários talhões do Parque.
Este ano, que para alguns constitui o ano zero do S. Mateus do século XXI, numa colaboração entre o Palácio do Regedor e a Confraria do Senhor Jesus da Piedade nasceu a Expo S. Mateus. Objectivo desta estrutura alargar o tempo da feira para abranger dois fins de semana. Para tal foi montada ao fundo do parque englobando nela o recinto de espectáculos com dois palcos, o da Gastronomia com animação às refeições para os comensais e passantes e o palco principal numa tenda onde decorreram os concertos. Este espaço coberto da Expo S. Mateus, que segundo o Regedor se pretende em edições futuras com maiores dimensões, continha ainda as representações institucionais e uma zona comercial. Segundo foi dito por Rondão Almeida na inauguração da Expo no dia 20/09, estando já em funcionamento antecipado desde dia 16, existe a intenção do apropriamento temporário do Parque da Piedade para o infra-estruturar, dado a Confraria não dispor de meios financeiros, restituindo-o à Igreja passado 25 anos. Pergunta deste Conselheiro: Será que esta estrutura independente que é a Confraria também já está sob a regencia de R. A.?
Quanto ao espaço do artesanato localizado no Recinto da Fé, e montado encima do joelho na tarde de dia 20, foi segundo os artesãos um espaço pobre, oscuro e sem destaque nesta romaria.
Pergunta do Conselheiro: Não é ao abrigo da mostra de artesanato e gastronomia que o Palácio do Regedor consegue os subsidios do Intereg para pagar a sua Expo? Não mereceriam então estes velhos sábios da tradição melhor sorte?
São estas as Festas da Cidade de Elvas, mas quem passar pelo velho burgo quase não se apercebe que estamos em festa. Nem um um sinal de festividade!
A nível cultural uma única iniciativa da responsabilidade do Museu de Fotografia dando ao público mais uma oportunidade de conhecer o trabalho de um fotografo/artista. Pergunta do Conselheiro: Faltam espaços para iniciativas? Não. Então faltam programadores culturais!
Seja como for viveram-se em Elvas dias de alegria. Agora recomeçam as festinhas das autarquicas. Vamos estar atentos!

3 comentários:

Xanu disse...

Ora bem...quanto à Feira de Artesanato e no seguimento das críticas recebidas o candidato a vice-regedor fez sair um esclarecimento que dizia o seguinte nos pontos 2 e 3:

2.- os artesãos que se encontram no interior do pavilhão do artesanato estão a pagar aluguer de espaço à empresa que gere a área comercial da Expo São Mateus;

3.- quanto aos artesãos que se encontram no recinto da Fonte da Fé não pagam qualquer importância para ali se encontrarem, a Câmara Municipal paga transporte e alimentação e os artesãos ocupam stands alugados pela Câmara de Elvas, no local disponibilizado pela Confraria do senhor Jesus da Piedade;

É preciso dizer mais?

Rui Jesuino disse...

Amigo Zé de Mello, ainda não descobri se o senhor é ministro, conselheiro ou crítico-mor. É que daqui ainda nunca vi uma satisfação por uma ideia que seja desta Câmara Municipal e sim, já observei muitas críticas. Não, não se trata de falta de espírito democrático da minha parte. Aceito toda e qualquer crítica desde que seja para o bem do meu concelho. Mas uma crítica continua e a grande maioria das vezes sem razão custa a engolir. Agora cabe-lhe o serviço de críticar a acção do executivo camarário na Expo São Mateus. Também para mim não foi uma boa ideia a localização do artesanato junto à Fonte da Fé e tenho a certeza que se os organizadores do certame soubessem que assim seria, tal facto não teria acontecido. Outro ponto a rever, a meu ver, foi o fogo de artifício, espectáculo que costuma deslumbrar milhares de pessoas e que este ano pareceu estar mais fraco que em passadas edições da feira e quando comparado com outros fogos de artifício que se têm feito na cidade. No entanto, no seu global, a Expo São Mateus foi um grande êxito com milhares de pessoas a passarem todos os dias pelo festival. E é isso que o senhor não diz. Por acaso viu os espectáculos? Viu quantas pessoas diariamente ali aplaudiram os excelentes artistas que por ali passaram? E isso, ocultando a verdade de um facto para depois o criticar, é que me parece falta de espírito cívico e democrático.
Então e também vem criticar o apropriamento temporário por parte da Câmara do Parque da Piedade, atirando logo achas para a fogueira de que a Confraria também é dominada pela Câmara? Então o sr. critico-mor acha que o Parque da Piedade é um espaço bem aproveitado durante o ano? Concerteza que não... É que estou quase certo que se este espaço fosse gerido pela Câmara e estivesse sub-aproveitado durante todo o ano já teria saído um post a criticar a situação. Agora até já se critica por se querer fazer alguma coisa. Enfim... eu sei que as críticas vão aumentar até dia 9, é natural, é que 2,27% é uma grande chatice.

Ze de Mello disse...

Caro Conselheiro Jesuino,
Antes de mais estranho o facto de tão acesso comentário, desculpado por denotar em V. Exa. alguma ligação ao Palácio do Regedor ou à sua estrutura partidária.
Recordo-lhe as minhas palavras do édito de 29/08: " Como já poderam ter constatado os visitantes e os caros co-Conselheiros que se dignam compartir os seus comentários neste espaço, este não é um blogue da má língua, da difamação e da critíca opressiva. Queremos de forma satírica criticar deixando propostas para ajudarmos a construir a Elvas - Chave da Europa, a nova e futura cidade que não esquecendo o seu passado histórico e patriótico, conhecida como Chave do Reyno, se prepara agora para olhar para a Europa, abrindo-lhe as portas e desenhando no seu futuro uma urbe essencial no contexto transfronteiriço ibérico."
Por estas linhas passam opiniões pessoais deste vosso servidor, que não estando dependem-te de qualquer ligação partidária apenas opina sobre o dia a dia desta Elvas querida.
Vejo que V. Exa. neste seu comentário também deixa algumas criticas ao certame, pelo que também se deve estar a auto denominar de "critico-mor". Obviamente não foi o S. Mateus ideal mas foi um belissimo evento.
Se este espaço existe é para expressar opiniões,e, é com muito gosto que vejo a sua participação e a de todos quantos nela queiram tomar parte. A cultura democratica faz-se de opiniões, e não me diga que ao longo do meus éditos têm sido apenas criticas destrutivas. Aqui têm ficado ideias para o futuro, chamadas de atenção e mais que tudo um espaço aberto a todos: Rosas, Laranjas, Vermelhos, Monarquicos e Humanistas.
Quanto à exaltação da Expo S. Mateus deixo isso para o Boletim do Regedor.

Bem Haja!

Search